Tecnologia e Ciência Black Friday: Clientes devem checar confiabilidade de lojas online

Black Friday: Clientes devem checar confiabilidade de lojas online

Consumidores podem verificar se site é confiável através da URL e devem evitar acessar ofertas por links recebidos pelas redes sociais

Clientes devem sempre conferir a confiabilidade dos sites antes das compras

Clientes devem sempre conferir a confiabilidade dos sites antes das compras

Pixabay

A Black Friday tornou-se uma das datas mais importantes para os consumidores brasileiros e, neste ano, essa tendência não vai ser diferente. Marcada para acontecer nesta sexta-feira (27) e deve atrair muitas pessoas às lojas virtuais, mas antes de aproveitar as ofertas, os clientes devem verificar a confiabilidade dos sites que pretendem acessar.

Quer se dar bem na Black Friday? Confira essas dicas!

Os consumidores devem redobrar os cuidados com os links recebidos por e-mail ou por aplicativos de troca de mensagens, como destaca Denis Riviello, head de cibersegurança da Compugraf, empresa de segurança da informação. “Sempre motivado pela curiosidade ou pelo ótimo negócio, o usuário vai acabar clicando no link malicioso. Achou que a promoção é válida, a dica é entrar direto no site, e não clicar no link recebido por e-mail ou mensagem no Whatsapp.”

Uma vez acessada a loja virtual, dificilmente um site autêntico vai solicitar, no momento da compra, informações como a senha do cartão, ou o nome do pai e da mãe do cliente. Caso isso aconteça, o consumidor deve ficar desconfiado e sair do endereço, uma vez que, com a posse deste tipo de informação, os golpistas poderão realizar uma série de compras ilegais com estes dados.

Sites falsos

Uma das dicas é conferir o domínio do site antes de acessá-lo para fazer uma compra. Provavelmente, uma loja virtual legítima terá, no seu endereço, apenas letras e palavras que correspondam diretamente ao seu nome.

Se indenticar números substituindo letras, por exemplo, pode ser o indicativo de que o site acessado é falso. Por exemplo, o número “0” substituri a letra “o” no domínio ou o número “4” ocupar o lugar da letra “A”.

Outro ponto sobre as URLs é analisar a terminação delas, uma vez que a maioria dos sites confiáveis acabam com “.br”, “.edu” ou “.org”.

Como se proteger

Como mecanismo de prevenção a este tipo de situação de acesso aos endereços falsos, as pessoas podem instalar em seus computadores e celulares alguns programas que realizam ações protetoras até mais eficientes do que antivírus. “Hoje, você tem programas que vão te proteger não só de arquivos comprometedores, mas também de links maliciosos e tipos de malwares desconhecidos que não estejam na lista dos antivírus", ressalta Denis Riviello.

Black Friday: Saiba como é calculado o valor do frete

Caso compra em um site falso tenha sido finalizada, a orientação do especialista cancelar o cartão utilizado para a transação, trocar imediatamente as senhas de acesso de todos os canais de compra já usados pelo usuário, colocando códigos mais robustos e sempre diferentes para cada site.

As vítimas também podem denunciar os sites dessas lojas fraudulentas para órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, e até mesmo delegacias especializadas em crimes virtuais.

*Estagiário sob supervisão de Pablo Marques

Últimas