Reino Unido

Tecnologia e Ciência Caixão de 4 mil anos é encontrado enterrado em campo de golfe

Caixão de 4 mil anos é encontrado enterrado em campo de golfe

Restos mortais de um homem e um machado raro e preservado estavam dentro da urna construída na Idade de Bronze

Caixão foi construído na Idade de Bronze e tinha restos mortais de um corpo dentro

Caixão foi construído na Idade de Bronze e tinha restos mortais de um corpo dentro

Divulgação/York Archaeological Trust

Professores e alunos de arqueologia de uma universidade britânica encontraram um caixão de madeira construído há cerca de 4 mil anos atrás. O local da descoberta? Um campo de golfe.

Os arqueólogos da Universidade de Sheffield revelaram que dentro do caixão havia restos mortais do corpo de um homem e também um machado extremamente raro, que acredita-se existir apenas outros 12 iguais no Reino Unido.

Pesquisas iniciais revelam que o machado não seria utilizado como uma ferramenta para realizar trabalhos do cotidiano, mas como um símbolo de autoridade para marcar uma espécie de hierarquia social.

Machado encontrado é raro e servia como símbolo de status social

Machado encontrado é raro e servia como símbolo de status social

York Archaeological Trust

O caixão de três metros de comprimento e um metro de largura foi constrúido com troncos de árvores e, dentro dele, folhas foram usadas como um forro para apoiar o corpo da pessoa que foi enterrada.

De acordo com os pesquisadores, esse tipo de sepultamento só era concedido a pessoas com altos status nas populações que viveram na Idade do Bronze. Estima-se que existam apenas 65 caixões de madeira usados nesse período da história, uma vez que dificilmente esse material resiste por tanto tempo.

“O material orgânico foi preservado nas condições úmidas e sem ar dentro do tronco oco da árvore. Isso pode nos dar informações sobre as plantas que foram escolhidas para amortecer o corpo e até mesmo a época do ano em que esse homem foi sepultado”, destaca o Dr. Hugh Willmott, arqueólogo da Universidade de Sheffield, em comunicado divulgado pela instituição.

Os especialistas tomaram muitos cuidados para que o objeto não desintegrasse ou sofresse muitos danos quando fosse exposto ao sol e ao ar. Depois de um período de armazenamento em um ambiente refrigerado, o caixão foi transferido para a York Archaeological Trust, instituição norte-americana que tem como foco pesquisas e preservação de objetos arqueológicos.

Leia mais: Egito descobre cidade perdida de mais de 3 mil anos de idade

A Historic England, órgão público britânico que auxilia na preservação de locais históricos na Inglaterra, participou das ações de proteção, análise e transporte dos objetos encontrados no Tetney Golf Club, além de fornecer aporte financeiro para a realização dessas atividades.

“Foi preciso trabalho em equipe de todos os envolvidos, além de verbas da Historic England, para garantir que a oportunidade não fosse perdida. Os caixões de madeira da Idade do Bronze são raros eles sobreviverem após sua descoberta é ainda mais especial”, ressalta Tim Allen, arqueólogo da Historic England.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas