Coronavírus

Tecnologia e Ciência Cientistas reproduzem 'coração do coronavírus' para teste de inibidor

Cientistas reproduzem 'coração do coronavírus' para teste de inibidor

Modelo 3D da estrutura proteica do coronavírus será usado para teste de bloqueadores capazes de interromper seu ciclo de vida e, assim, a pandemia

Estrutura do "coração" do novo coronavírus

Estrutura do "coração" do novo coronavírus

Jill Hemman/ORNL, U.S. Dept. of Energy

Pesquisadores dos laboratórios norte-americanos Oak Ridge e Argonne realizaram as primeiras medições da estrutura da principal enzima da Sars-CoV-2 (vírus causador do novo coronavírus), a Mpro. Ela atua no processo de replicação do vírus.

O objetivo é construir, a partir dessas medidas, um modelo 3D dessa estrutura proteica. O estudo será usado para avançar simulações de supercomputação destinadas a encontrar drogas inibidoras para bloquear o mecanismo de replicação do vírus e combater a pandemia da covid-19.

Em entrevista ao portal de notícias EurekAlert, o pesquisador Andrey Kovalevsky, do Oak Ridge, ressaltou que essa enzima é indispensável para o ciclo de vida do vírus. “A [enzima] protease tem o formato de um coração de Dia dos Namorados, mas é realmente o coração do vírus. Se você inibir a protease e parar o 'coração', o vírus não pode produzir as proteínas essenciais para sua replicação.”

Kovalesvky afirma que essa é a primeira vez que a estrutura dessa enzima é medida em temperatura ambiente. O fato, segundo o especialista, é significativo porque está próximo da temperatura fisiológica em que as células operam.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Últimas