Novo Coronavírus

Tecnologia e Ciência Especialistas combatem ataques virtuais relacionados a coronavírus

Especialistas combatem ataques virtuais relacionados a coronavírus

Grupo internacional de quase 400 profissionais da área de segurança digital trabalha para conter a ação de hackers durante pandemia

Reuters
Covid-19 CTI League é o grupo voluntário que abrange mais de 40 países

Covid-19 CTI League é o grupo voluntário que abrange mais de 40 países

Ronen Zvulun/Reuters

Um grupo internacional de quase 400 especialistas em segurança cibernética se juntou na quarta-feira para combater ataques hackers relacionados ao coronavírus.

Chamado de Covid-19 CTI League, o grupo voluntário abrange mais de 40 países e inclui profissionais em altos cargos em grandes empresas como Microsoft e Amazon.

Um dos quatro coordenadores iniciais do grupo, Marc Rogers, disse que a principal prioridade é trabalhar no combate a ataques hackers contra instalações médicas e outras entidades da linha de frente do combate à pandemia.

Também é fundamental a defesa de redes e serviços de comunicações que se tornaram essenciais à medida que mais pessoas trabalham de casa, disse Rogers, chefe de segurança da conferência de hackers Def Con e vice-presidente da empresa de segurança Okta.

O grupo também está usando sua rede de contatos de provedores de infraestrutura da internet para reprimir ataques de phishing e outros crimes financeiros que estão usando o medo do vírus ou a busca de informações sobre ele para enganar usuários.

"Eu nunca vi esse volume de phishing", disse Rogers. "Estou literalmente vendo mensagens de phishing em todas as línguas conhecidas pelo humanidade".

As mensagens de phishing tentam induzir os destinatários a inserir senhas ou outras informações confidenciais em sites controlados pelos hackers, que depois usam os dados para controlar contas bancárias, emails ou outras contas das pessoas.

Rogers disse que as autoridades estão surpreendentemente acolhedoras com o grupo, reconhecendo a dimensão da ameaça.

Rogers é um cidadão do Reino Unido que mora atualmente na área da Baía de São Francisco. Dois outros coordenadores de grupo são norte-americanos e um é israelense.

"Nunca vi esse nível de cooperação", afirmou Rogers. "Espero que continue depois, porque é uma coisa bonita de se ver."

Últimas