Facebook
Tecnologia e Ciência Facebook capacitou Apple a esconder coleta de dados irregular

Facebook capacitou Apple a esconder coleta de dados irregular

Acesso à agenda de contatos e ao calendário era feito mesmo após ajustes nos dispositivos para não compartilhar informações, diz New York Times

Apple e Facebook

Apple coletava dados dos usuários mesmo sem permissão

Apple coletava dados dos usuários mesmo sem permissão

Thomas Peter/Reuters - 31.10.2017

A Apple teria sido capacitada pelo Facebook a esconder todos os indicativos de que os dispositivos da marca estavam coletando dados dos usuários, segundo investigação publicada pelo New York Times nesta quarta-feira (19).  

A fabricante do iPhone tinha acesso à agenda de contatos e ao calendário mesmo após ajustes nas configurações que deveriam impedir as informações de serem compartilhadas.

Ao NYT, a Apple disse que não estava ciente de que a rede social de Mark Zuckerberg concedeu acesso privilegiado aos produtos da marca. A empresa argumenta que os dados coletados não são disponibilizados para ninguém além do próprio dono do dispositivo.

O Facebook respondeu o jornal que divulga seus acordos de compartilhamentos na política de privacidade desde 2010. No entanto, segundo o NYT, não está especificado quais dados a rede social compartilha com as empresas. O diretor de privacidade do Facebook, Steve Satterfield, afirma que os parceiros passam por "controles rigorosos".

Mercado de dados

O escândalo da Cambridge Analytica, revelado em março deste ano, estava justamente relacionado com a falta de controle do Facebook sobre os dados coletados por terceiros. Um aplicativo desenvolvido pelo professor de psicologia da Universidade de Cambridge Aleksandr Kogan, em 2014, obteve dados de 87 milhões de contas da rede social sem o consentimento dos usuários.

Em junho, o CEO da Apple, Tim Cook, deu uma entrevista ao site NPR e disse "nós não estamos no negócio de dados. Nunca estivemos no negócio de dados". A fala foi uma resposta a um relatório sobre acordos do Facebook com outras 60 empresas de tecnologia para acessar informações pessoais dos usuários da rede social.

Conforme as investigações da publicação norte-americano, mais de 150 empresas, principalmente que atuam na área de tecnologia, usaram os dados do Facebook sem o consentimento dos usuários. A rede social permitiu esse tipo de acesso até mesmo após afirmar diante das autoridades que havia interrompido essa forma de partilha de dados dos usuários.

Resposta do Facebook

O Facebook publicou explicações sobre sua relação com outras empresas e rebatendo algumas das acusações sobre o compartilhamento de dados dos usuários.

A rede social classifica Apple, Amazon, Blackberry e Yahoo de parceiros de integração. Essa relação teria o objetivo de melhorar as experiências sociais, como ver recomendações em outros aplicativos e sites populares, como Netflix, The New York Times, Pandora e Spotify.

Segundo a empresa, nenhuma dessas parcerias ou recursos deu às empresas acesso a informações sem a permissão dos usuários, nem violaram o acordo de 2012 com as autoridades norte-americanas.