Facebook
Tecnologia e Ciência Facebook deleta centenas de páginas criadas por russos

Facebook deleta centenas de páginas criadas por russos

Investigações encontraram indícios de que páginas tentavam ocultar a origem dos administradores com posts sobre outros países

Facebook e Rússia

Facebok decide deletar centenas de contas ligadas à Russia e à Ucrânia

Facebok decide deletar centenas de contas ligadas à Russia e à Ucrânia

Pixabay

O Facebook publicou um comunicado nesta quinta-feira (17) que deletou centenas de páginas e contas por ocultarem serem administradas da Rússia.

As páginas supostamente tratavam de notícias sobre clima, viagens, esportes, economia ou política em países Bálticos, na Ásia Central, no Cáucaso e na Europa Central e Oriental. No entanto, as investigações encontraram evidência de que os administradores estavam na Rússia e publicavam conteúdos protestos e movimentos anticorrupção. 

Segundo a rede social, essas contas eram ligadas a funcionários da Sputnik, uma agência estatal de notícias sediada em Moscou.

"Estamos constantemente trabalhando para detectar e interromper este tipo de atividade, pois nós não queremos que nossos serviços sejam usados para manipular as pessoas", escreveu o diretor do departamento de política de segurança cibernética do Facebook, Nathaniel Gleicher.

As 364 páginas e contas retiradas da plataforma tinham cerca de 790 mil seguidores. De 2013 a 2019, o Facebook recebeu 135.000 dólares, cerca de R$ 540 mil, pago em diversas moedas. 

As informações obtidas ao longo das investigações foram compartilhadas com autoridades norte-americanas, com o congresso dos Estados Unidos, com outras empresas de tecnologia 

A Agência Sputnik publicou uma nota sobre o caso em sua página:

"As ações do Facebook, que removeu mais de 500 perfis ligados à Rússia, incluindo sete contas da agência Sputnik, têm motivos políticos e, de fato, correspondem à censura."

Facebook e Ucrânia

Páginas administradas por ucranianos também foram deletadas pelo mesmo motivo. No total, foram 148 páginas no Facebook e 41 no Instagram. Os administradores eram responsáveis por espalhar na rede notícia e relatos falsos. 

Post postado por página ucraniana que foi retirada do ar

Post postado por página ucraniana que foi retirada do ar

Reprodução/Facebook