Facebook, Google, Apple e Amazon recebem críticas em audiência

Mark Zuckerberg, Sundar Pichai, Tim Cook e Jeff Bezos foram questionados por congressistas dos EUA sobre influência das empresas no mercado

Mark Zuckerberg (Facebook), Sundar Pichai (Google), Tim Cook (Apple) e Jeff Bezos (Amazon)

Mark Zuckerberg (Facebook), Sundar Pichai (Google), Tim Cook (Apple) e Jeff Bezos (Amazon)

Reprodução YouTube

Os CEOs Mark Zuckerberg (Facebook), Sundar Pichai (Google), Tim Cook (Apple) e Jeff Bezos (Amazon) participaram de uma audiência na quarta-feira (29), promovida pela comissão de justiça da Câmara dos Deputados norte-americana.

O motivo da convocação para as principais empresas de tecnologias do mundo prestarem esclarecimentos foi um relatório detalhado com acusações de violações de leis da concorrência. 

Diante de 15 deputados, os executivos receberam críticas sobre as práticas de suas companhias que estariam prejudicando empresas concorrentes e foram questionados sobre as medidas para impedir a influência na política.

O democrata David Cicilline, presidente da subcomissão, foi o primeiro a fazer perguntas e começou acusando o Google de roubo. "Por que o Google rouba conteúdo de empresas honestas?", questionou o parlamentar.

Segundo Cicilline, o Google teria roubado resenhas da companhia Yelp, voltada para avaliação de estabelecimentos comerciais, e afirmou que o buscador ameaçou interferir sobre os resultados de buscas que levariam a empresa se fosse contra a prática. O executivo do Google negou a acusação.

O executivo do Facebook foi questionado sobre a compra do Instagram, em 2012, ter sido motivada por entender que a rede social de fotos seria uma ameaça aos negócios. Zuckerberg ressaltou que a plataforma era apenas uma das concorrentes nesse segmento e se defendeu dizendo que a Comissão Federal de Comércio (FTC), nos EUA, autorizou a aquisição.

No lado republicano, o deputado Jim Jordan direcionou suas críticas ao Google e ao Facebook e acusou as companhias de promoverem ações para evitar que os conservadores atinjam seu público de apoiadores. "As grandes empresas de tecnologia estão atingindo os conservadores", disse o congressista. As empresas negaram as acusações de censura.

Tim Cook, da Apple, foi alvo de poucas perguntas. A principal delas questionou o uso da App Store, loja de aplicativo da marca, para beneficiar desenvolvedores de algumas empresas e o acesso aos dados bancários dos usuários por forçar o uso do Apple Pay dentro dos apps. O executivo negou que a empresa tenha esse tipo de estratégia de negócio.

O executivo da Amazon foi questionado se o tamanho de sua empresa não teria impedido pequenos negócios de negociar com outras plataformas de venda online. Ele respondeu apenas que não concordava com a tese e que os donos das lojas tem o direito de escolha.

A audiência marcou a primeira vez que os quatro CEOs apareceram juntos perante o congresso dos EUA. Zuckerberg compareceu diante dos congressista em três audiência, Pichai e Cook foram convocados outras duas vezes e Jeff Bezos nunca tinha sido ouvido anteriormente. Juntas as companhias representam valor de mercado de cerca de 5 trilhões de dólares.