Tecnologia e Ciência Facebook pode perder Instagram e Whatsapp na Justiça dos EUA

Facebook pode perder Instagram e Whatsapp na Justiça dos EUA

Ações movidas pela Comissão Federal de Comércio e quase todos os Estados, acusando a empresa de monopólio podem levá-la a ter de se desmembrar

Reuters
Empresa é acusada de violar leis antitruste e concorrência desleal

Empresa é acusada de violar leis antitruste e concorrência desleal

Flickr

A Comissão Federal de Comércio dos EUA e quase todos os Estados norte-americanos processaram o Facebook em duas ações diferentes nesta quarta-feira (9), argumentando que a empresa viola a lei antitruste e deve ser potencialmente desmembrada.

Leia também: Facebook anuncia integração do Instagram Direct com Messenger

Com a apresentação das ações judiciais, o Facebook se torna a segunda grande empresa de tecnologia a enfrentar um importante desafio jurídico nos últimos meses.

Acusações de monopólio

A Comissão Federal de Comércio disse em comunicado que busca uma liminar que "poderia, entre outras coisas: exigir a cessão de ativos, incluindo Instagram e WhatsApp".

No processo, a coalizão de 46 Estados, Washington D.C. e Guam também pediu que as aquisições do Instagram e do WhatsApp pelo Facebook sejam consideradas ilegais.

"Por quase uma década, o Facebook tem usado seu domínio e poder de monopólio para esmagar rivais menores, extinguir a competição, tudo às custas dos usuários", disse a procuradora-geral de Nova York, Letitia James.

James afirmou que a empresa usou grandes quantias de dinheiro para adquirir esses rivais antes que eles pudessem ameaçar o domínio da companhia.

O Facebook informou que está analisando as queixas antitruste da Comissão Federal de Comércio e dos Estados norte-americanos.

A empresa disse que o governo "agora quer uma reformulação sem levar em conta o impacto que o precedente teria na comunidade empresarial como um todo ou nas pessoas que escolhem nossos produtos todos os dias".

Em outubro, o Departamento de Justiça dos EUA abriu processo contra o Google, acusando a empresa de usar seu poder de mercado para afastar rivais.

Últimas