Facebook

Tecnologia e Ciência Facebook quer ampliar checagens de fatos antes de eleição na Europa

Facebook quer ampliar checagens de fatos antes de eleição na Europa

Centro de operações funcionará 24 horas por dia com engenheiros, cientistas de dados, pesquisadores e especialistas táticos

Reuters
Facebook inteligência artificial

Facebook inteligência artificial

REUTERS/Dado Ruvic

O Facebook planeja ampliar os esforços para combater a desinformação antes da eleição para o Parlamento Europeu em maio e fará uma parceria com a agência de notícias alemã DPA para aumentar a checagem de informações, disse um executivo sênior nesta segunda-feira (18).

O Facebook tem estado sob pressão ao redor do mundo desde as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2016 para impedir o uso de contas falsas e outros tipos de fraude para influenciar a opinião pública.

No mês passado, a União Europeia acusou o Google, o Facebook e o Twitter de não cumprirem suas promessas de combater a disseminação de notícias falsas antes das eleições europeias, depois de já terem assinado um código de conduta voluntário para evitar uma regulamentação.

Nesta segunda-feira, o Facebook disse que estava montando um centro de operações que vai funcionar 24 horas por dia com engenheiros, cientistas de dados, pesquisadores e especialistas táticos, além de funcionar coordenadamente com organizações externas.

"Eles tentarão identificar as ameaças de forma proativa, para que possam agir sobre elas o mais rápido possível", disse Tessa Lyons, chefe de integridade do feed de notícias no Facebook, a jornalistas em Berlim.

O Facebook também anunciou que está se unindo à maior agência de notícias da Alemanha, a DPA, para verificar a precisão das postagens, além do Correctiv, um coletivo sem fins lucrativos de jornalistas investigativos que vem identificando notícias falsas e notificando a empresa de mídias sociais desde janeiro de 2017.

O planejamento inclui o treinamento de mais de 100 mil estudantes alemães em alfabetização midiática e procura impedir que a publicidade paga seja usada indevidamente para fins políticos.

Últimas