Golpe promete material escolar para beneficiários do Bolsa Família

Link falso foi compartilhado e acessado mais de 1 milhão de vezes por usuários do WhatsApp após ser detectado há 15 dias

Link falso foi compartilhado e acessado mais de 1 milhão de vezes

Link falso foi compartilhado e acessado mais de 1 milhão de vezes

Pixabay

Um novo golpe que está circulando por mensagens do WhatsApp promete  material escolar por R$ 350 para beneficiários do programa Bolsa Família. O link falso foi compartilhado e acessado mais de 1 milhão de vezes, nos últimos 15 dias.

O Dfndr Lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, detectou a ação de cibercriminosos em 15 de janeiro e, desde então, registra 70 mil novos acessos ao link diariamente. 

Golpe do material escolar no WhatsApp

Golpe do material escolar no WhatsApp

Reproduação

O golpe está sendo compartilhado pelo WhatsApp por 4 links diferentes. Ao clicar na mensagem falsa, o usuário é incentivado a responder uma pesquisa com três perguntas: “você já tem o Bolsa Família?; você está com seu cadastro em dia?; possui cartão cidadão para realizar o saque do benefício?”.

Independente das respostas a vítima, uma mensagem informa que o usuário tem direito a receber o suposto benefício. A condição para obter o o material escolar por um preço mais baixo é compartilhar o link recebido por mensagem com outros contatos no WhatsApp.

Para dar mais veracidade ao golpe, são exibidos comentários falsos de supostos usuários que receberam a vantagem. Algumas pessoas estariam até incentivado o compartilhamento para informar outros beneficiários do Bolsa Família.

Comentários falsos no Golpe do material escolar

Comentários falsos no Golpe do material escolar

Reprodução

Por fim, a vítima é induzida a conceder permissão para receber futuras notificações
com outros golpes e, depois, direcionada à páginas falsas para visualizar publicidades fraudulentas.

“É bastante comum que os cibercriminosos se aproveitem de períodos e situações específicas, como épocas festivas, promoções de grandes marcas ou até a situação socioeconômica do país, para criar golpes com temáticas personalizadas e com maior tendência viral", diz Emilio Simoni, diretor do Dfndr Lab.

A orientações para não cair em golpes desse tipo é ter cuidado ao clicar em links recebidos por mensagens. Sempre verifique as informações compartilhadas nos sites oficiais das empresas e desconfie de promoções, brindes e descontos exagerados. O site do Dfndr lab tem um serviço gratuito para chegar se um link é falso ou não.