Ciência

Tecnologia e Ciência Gorilas são os primeiros animais vacinados contra a covid-19

Gorilas são os primeiros animais vacinados contra a covid-19

Nove primatas receberam a dose do imunizante experimental após a confirmação de oito casos da doença em zoológico dos EUA 

Oito macacos do zoológico foram infectados

Oito macacos do zoológico foram infectados

San Diego Zoo Wildlife Alliance

Macacos do zoológico de San Diego, nos Estados Unidos, se tornaram, na última quarta-feira (4), os primeiros animais a serem vacinados contra a covid-19. O imunizante aplicado é experimental e foi desenvolvido pela farmacêutica veterinária norte-americana Zoetis.

A oficial de Conservação Global e Saúde da Vida Selvagem, Nadine Lamberski, afirmou ao portal Insider que a preocupação surgiu pela primeira vez quando Winston, um gorila de 49 anos do zoológico, começou a tossir alguns dias após a descoberta de que um funcionário estava infectado. Ao todo, oito primatas do zoológico norte-americano testaram positivo para a doença.

"Assim que soubemos que um funcionário era positivo, ficamos em alerta máximo, então apenas uma ou duas tosses realmente dispararam o alarme e imediatamente começamos a obter as permissões necessárias para enviar amostras para testes de diagnóstico", afirmou.

"Nossos especialistas em cuidados com a vida selvagem tentaram descobrir se poderíamos separar os animais. E se um animal estivesse gravemente doente e precisasse de cuidados intensivos? Isso era possível?", completou.

No total, nove macacos — quatro orangotangos e cinco bonobos — receberam a vacina, incluindo um orangotango chamado Karen, que foi o primeiro macaco do mundo a fazer uma cirurgia de coração aberto em 1994. Os animais se recuperaram totalmente em meados de fevereiro.

Com menos de 5 mil gorilas na natureza, os pesquisadores expressaram preocupação de que, como os primatas vivem em grupos familiares próximos, a infecção poderia se espalhar rapidamente se apenas um deles pegasse o vírus. Pouco se sabe sobre o efeito que o coronavírus tem em animais, embora vários animais, incluindo gatos e cães, tenham testado positivo para o vírus no passado.

Apesar de a equipe estar tranquila pelo fato de seus macacos estarem vacinados, Lamberski pensa que "esse grande suspiro de alívio não virá até que o imunizante chegue a comunidades remotas em todo o mundo, para áreas onde os gorilas vivem na natureza."

Ao Insider, o CEO e presidente do zoológico, Paul Baribault disse ainda que espera que a pandemia ajude as pessoas a perceber a interconexão que os humanos têm com a natureza. "À medida que avançamos para fora da covid, esperamos que o mundo tenha uma compreensão maior de nossa interdependência, que dependemos da saúde da natureza. Dependemos da saúde da vida selvagem. Nossa saúde está ligada a tudo isso."

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas