Ciência
Tecnologia e Ciência Ilha pretende abandonar os relógios e acabar com o conceito de tempo

Ilha pretende abandonar os relógios e acabar com o conceito de tempo

População de cerca de 350 pessoas na Noruega  vive mais de dois meses por ano sem ver o sol se pôr e outros dois meses em noites intermináveis

conceito de tempo

População da Sommarøy pretende abandonar os relógios

População da Sommarøy pretende abandonar os relógios

Reproução/Facebook - Free Time Zone

A população de pouco mais de 350 pessoas que vive na ilha de Sommarøy, na Noruega, iniciou uma campanha para ser único lugar do planeta a abolir a noção de tempo.

Por estar localizada além do Círculo Polar Ártico, o local tem logos períodos do ano que são vem diferentes do habitual em outras partes do globo. 

De maio até julho, o Sol não se põe nunca e segue brilhando no céu por 69 dias seguidos. No período de inverno, de novembro a janeiro, a situação se inverte e as noites são intermináveis.

Por essa peculiaridade, existe o movimento dos moradores que considera o relógio algo incompatível com o estilo de vida na ilha.

noruega

noruega

Gøran Mikkelsen

"Por que precisamos de tempo e relógios quando não há noite?", questiona a página do movimento no Facebook. "Por que não terminamos de sair do tempo, jogamos fora todos os relógios e esquecemos deles? A vida seria muito mais fácil".

Em 13 de junho, a população entregou uma petição a um membro do parlamento norueguês para discutir os desafios de colocar a ideia na prática.

Sommarøy poderá atrair turistas que buscam um experiência inédita

Sommarøy poderá atrair turistas que buscam um experiência inédita

Reprodução~/Facebook Free Time Zone

Além de flexibilizar as atividades cotidianas em Sommarøy, a novidade deve também chamar a atenção dos turistas para viver uma experiência única.

A ideia é que os visitantes deixem seus relógios presos na ponte que liga a ilha ao continente. Assim como acontece em pontes pelo mundo onde os visitantes colocam cadeados na estrutra.