Novo Coronavírus

Tecnologia e Ciência Pandemia mudou pontos de vista dos consumidores, diz pesquisa

Pandemia mudou pontos de vista dos consumidores, diz pesquisa

Levantamento feito com mais de 14 mil pessoas em 9 países mostra que ano impactou perspectivas sobre sustentabilidade

Medidas sustentáveis como fontes de energia limpa 
ganharam atenção do público

Medidas sustentáveis como fontes de energia limpa ganharam atenção do público

Alan Santos/PR - 17.09.2020

A pandemia de covid-19 mudou, entre outras coisas, os pontos de vista de muitas pessoas com relação a comportamentos de compra, impactos no meio ambiente e sustentabilidade. É o que mostra um estudo realizado pelo IBM Institute for Business Value, com mais de 14 mil consumidores em nove países, incluindo o Brasil.

Leia também: Biden diz que luta pelo clima é imperativo econômico e moral

Os resultados indicam, por exemplo, que 66% dos brasileiros pesquisados estão dispostos a mudar seus hábitos de consumo para reduzir problemas ambientais. Globalmente, muitos se mostraram abertos às ideias de pagar do próprio bolso e até receber salários menores, por um futuro mais sustentável

Nove de cada 10 entrevistados afirmaram que a pandemia afetou seus pontos de vista sobre sustentabilidade ambiental, mais do que qualquer outro aspecto, como incêndios florestais, desastres causados pelas mudanças climáticas e cobertura sobre o assunto.

Os relatórios também mostraram as diferenças de opiniões de consumidores de vários países. Nos EUA, por exemplo, a preocupação com a sustentabilidade é menor que de vários outros locais. Apenas 51% dos norte-americanos disseram que lidar com mudanças climáticas é muito ou extremamente importante para eles, 18% a menos que a média global.

A pesquisa apontou que muitos consumidores estão mais dispostos a mudar a forma como fazem compras, viajam, escolhem um empregador e até mesmo onde fazem investimentos pessoais devido a fatores de sustentabilidade ambiental.

Além disso, funcionários também se mostram dispostos a aceitar um salário mais baixo para trabalhar em uma empresa que se preocupa com a sustentabilidade. De acordo com o estudo, 71% dos trabalhadores e candidatos entrevistados afirmam que empresas ambientalmente sustentáveis são mais atraentes como empregadores.

Além disso, mais de dois terços dos que estão procurando emprego se candidatariam e aceitariam empregos em organizações ambiental e socialmente responsáveis. E quase metade aceitariam salários mais baixos para trabalhar nesses locais.

Consumo consciente

Na área do consumo essa tendência fica ainda mais explícita. Globalmente, 54% dos entrevistados disseram que, a despeito do impacto financeiro causado pela pandemia, estão dispostos a pagar mais por produtos de marcas que sejam sustentáveis ou ambientalmente responsáveis.

Outro exemplo da importância é que 55% afirmaram que a sustentabilidade é muito importante ao escolher a marca de um produto, um aumento de 22% em relação a uma pesquisa realizada antes da pandemia. Seis a cada dez disseram que estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para ajudar a reduzir os impactos ambientais.

Os consumidores pesquisados ​​na Índia (78%) e na China (70%) são os mais dispostos. Os consumidores pesquisados ​​em países da América Latina, México (69%) e Brasil (66%), também relataram ter grande disposição para mudar seu comportamento de compra para ajudar a reduzir o impacto negativo no meio ambiente.

O IBM Institute for Business Value pesquisou mais de 14 mil adultos de nove países do mundo (EUA, Índia, Reino Unido, Canadá, Alemanha, México, Espanha, Brasil e China) durante o mês de março de 2021.

Últimas