Por que estou tendo 'sonhos malucos' durante a quarentena? 

Especialistas explicam por que relatos de sonhos agitados tem se tornado cada vez mais comuns durante pandemia 

Para neurologista, consumo de informações pode estar relacionado ao aumento de sonhos agitados

Para neurologista, consumo de informações pode estar relacionado ao aumento de sonhos agitados

Pexels

“Esse é um dos assuntos que mais tenho tratado na terapia: tenho sonhado o tempo todo com hospitais.” O relato do advogado Paulo Machado, de 34 anos, faz parte das reações à quarentena mais comentadas. Seja sobre sonhos malucos, insônia ou mudança no horário de descanso, relatos sobre a alteração da qualidade do sono tem se tornado cada vez mais comuns.

Coronavírus: como a pandemia e o isolamento afetam nosso sono

“Cada pessoa reage de uma forma”, explica Gustavo Moreira, médico pesquisador do Instituto do Sono.  “Algumas pessoas negam o perigo, outras ficam amedrontadas e se enclausuram, outras aproveitam a mudança para repensar planos de vida. Neste cenário de emoções, há uma predisposição para o aparecimento de sonhos, pesadelos e despertares noturnos frequentes.”

“Me sinto em risco”, conta Camila Barros, de 28 anos. Apesar de se exercitar diariamente e manter uma rotina de sono, a advogada relata o aumento de pesadelos durante a quarentena. Um de seus sonhos mais marcantes, segundo seu relato, não tinha a pandemia como tema, mas era ameaçada por homens desconhecidos. Segundo o neurologista Fábio Porto, “não é incomum que as pessoas tenham sonhos de conteúdo de luta. Uma das áreas mais ativas durante o sono é a que processa o conteúdo aversivo”.

Para o neurologista, uma das hipóteses é de que o aumento de sonhos agitados esteja diretamente relacionado com o consumo excessivo de informações durante a pandemia. “ Quando você sonha, está processando informações. É como se colocasse um tijolinho no seu muro de conhecimento. Instintivamente, alguns insights vão acontecer.”

Um estudo psiquiátrico realizado durante o surto de covid-19 na China mostrou um registro significativo de sintomas de ansiedade, depressão e queda na qualidade do sono entre jovens, idosos e profissionais da saúde.

“A prevalência geral de TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizado), sintomas depressivos e qualidade do sono do público foram de 25,1%, 20,1% e 18,2%, respectivamente” Segundo o artigo publicado na revista Nature Science of Sleep, profissionais de saúde eram mais propensos a ter má qualidade do sono em comparação com outros grupos ocupacionais.

Como os sonhos acontecem?

Segundo o neurologista Fábio Porto e o médico pesquisador Gustavo Moreira, a função dos sonhos ainda é desconhecida.

“ Psicanalistas acreditam que é uma manifestação do subconsciente, sua interpretação, dependendo do contexto de cada pessoa”, explica Moreira.
O registro de informações pelo cérebro ocorre na fase REM do sono. Segundo Fábio Porto, é geralmente o momento em que o sonho acontece. “O sono REM acontece em círculos de mais ou menos uma hora e meia. Sempre que você dorme mais, aumenta a chance de ter sonhos nesta fase.”

Saiba como lidar com a insônia durante a quarentena