Programa Inova 360 A startup que impulsiona negócios para mais de 50 empreendedoras

A startup que impulsiona negócios para mais de 50 empreendedoras

Dia Internacional da Mulher: conheça Carolina Lumack, sócia e COO da startup do setor moveleiro Muma, marketplace que ajuda outras empreendedoras a vender online.

Programa Inova 360
Carolina Lumack -Crédito Foto: Alexandre Pirani

Carolina Lumack -Crédito Foto: Alexandre Pirani

Programa Inova 360

As mulheres sempre foram vistas como mais delicadas e com um papel reduzido na sociedade. Há anos existem grandes movimentos para que essa visão mude, mas a batalha feminista por igualdade de direitos ainda está longe de ser encerrada. No entnato, vemos mulheres assumindo cada vez mais papéis importantes nos negócios e atuando em meios antes exclusivamente masculinos.

É o caso da executiva Carolina Lumack, 35, sócia e COO da startup do setor moveleiro Muma, que nasceu com a proposta de mudar o conceito de móveis de design assinados e distribuir de forma sustentável trabalhos lindíssimos. Hoje, aproximadamente 160 designers compõem o portfólio da Muma e, desses, Carol luta diariamente para ampliar a representatividade do número de 50 negócios tocados por mulheres ou onde elas são sócias (pouco mais de 30%). 

Apesar da baixa representatividade feminina no próprio mercado, fato é que Carol Lumack é uma pessoa de relacionamento e que faz a diferença na vida de cada uma dessas mais de 50 empreendedoras. Nascida no Recife (20/09/85), é graduada em duas universidades públicas, Design (UFPE) e Administração (UPE). Como diretora de operações da empresa, ela lidera o time de funcionários e a área de parcerias com prestadores de serviços.

E é Carolina que faz a parte mais difícil do business, a logística de entrega, o relacionamento e atendimento das demandas de  parceiros e dos clientes, pois coordena o time de SAC, e ainda a parte administrativo-financeira do negócio. Trabalhar como líder em um setor majoritariamente masculino não assusta Carolina, que com o seu bom humor lida de maneira delicada, porém assertiva, com o relacionamento com os clientes. Hoje ela é a inteligência por trás da operacionalização do transporte de todos os produtos da empresa, com o desafio de levar inclusive peças delicadas e feitas à mão por designers. 

Ela consegue levar uma escultura de leão, artesanato de barro que ganhou destaque regional e também no mundo, do pequeno município de Tracunhaém (interior do Pernambuco, a 60 km de Recife) até o sul do país, e fazê-la chegar intacta, em perfeito estado. Da mesma forma, o sofá Gael sai de Guaramirim, em Santa Catarina, para o Nordeste. Vindos de lugares remotos do Brasil ou de grandes centros, a executiva orquestra com maestria fornecedores, distribuidores e todo o ecossistema para promover a entrega de móveis de designers assinados em todo o Brasil.

São muitas histórias, entre elas a da designer Maria do Carmo dos Santos, mas conhecida como Mestre Neguinha, que é filha, neta e bisneta de louceiras. Com a Muma, essa artista deu um novo rumo para expansão do trabalho de tradição familiar e agora pode vender seus produtos não só para a região de Pernambuco, onde nasceu, mas para todo o Brasil. 

Além de criar as tradicionais panelas de barro, a Mestre Neguinha produz peças inspiradoras e que contam um pouco da cultura regional. “A gente começou a se inspirar e, graças a Deus, está dando certo. Os Tamanduás e as Cabeças do homem e da mulher são as peças que eu mais faço, surgiu pela vontade mesmo”, afirma Mestre Neguinha.

Outra história inspiradora e que traz muito de Brasil é a da designer Adriana de Capela. O símbolo da região de Capela, em Alagoas, é uma árvore, a jaqueira, que despertou Adriana para sua vocação como artesã. Irmã de Sil de Capela, uma das maiores artesãs do Brasil, Adriana começou a ajudar Sil em pequenas tarefas, peneirando e amassando o barro. Até que a irmã recebeu uma encomenda muito grande e precisou de Adriana para fazer pequenas jacas.

A partir daí Adriana se debruça todos os dias na produção das graciosas jacas no ateliê que divide com os artesãos de Capela, dentre eles, sua irmã e o Mestre João das Alagoas, outro expoente da arte popular brasileira. Sil, trabalhou desde muito cedo em canaviais da Zona da Mata alagoana para ajudar na criação dos 11 irmãos mais novos, dentre eles Adriana, no povoado onde morava. 

Aos 16 anos, quando decidiu fugir de casa em busca de uma vida mais digna, Sil adotou Capela como sua terra. Foi lá que nasceu sua primeira filha, Cristina, diagnosticada com autismo. Em busca de novas oportunidades para a família, a artesã participou de uma oficina para mães com filhos especiais, ministrada pelo ceramista João das Alagoas, mestre do Registro do Patrimônio Vivo do estado. Daquele em diante sua vida começou a mudar.

Hoje Sil e Adriana trabalham juntas e são duas das ceramistas mais importantes do país. Inspiradora, a trajetória de Sil foi registrada recentemente pela jornalista e escritora pernambucana Naide Nóbrega no livro: Do barro eu vim, do barro eu sou.

Últimas