O Poder das suas “experiências”

  No artigo anterior, falamos sobre como nós somos “responsáveis” por como está a nossa vida. Se ela está ruim ou boa, só há um responsável por isso, você mesmo. Mas o que isso tem a ver com as experiências vivenciadas por mim? Que “poder” é este que as minhas “experiências” têm se o único

  No artigo anterior, falamos sobre como nós somos “responsáveis” por como está a nossa vida. Se ela está ruim ou boa, só há um responsável por isso, você mesmo. Mas o que isso tem a ver com as experiências vivenciadas por mim? Que “poder” é este que as minhas “experiências” têm se o único

No artigo anterior, falamos sobre como nós somos “responsáveis” por como está a nossa vida. Se ela está ruim ou boa, só há um responsável por isso, você mesmo. Mas o que isso tem a ver com as experiências vivenciadas por mim? Que “poder” é este que as minhas “experiências” têm se o único responsável pela minha vida, tudo que acontece nela, sou eu mesmo?!

Bom, vamos à explicação:

Tudo o que alguém diz a você, vai gerar um “pensamento”. Se este pensamento for bom, você ficará em um estado emocional que refletirá isto, se for ruim, também. Este “estado emocional” gera um sentimento de alegria, euforia, entusiasmo se for bom ou um sentimento de raiva, frustração, tristeza se for ruim. Este “sentimento” afeta também seu corpo físico, fazendo com que você “sinta” os reflexos destes sentimentos. Estes “reflexos” geram um comportamento, uma atitude sua. Por exemplo, se ficar com raiva, provavelmente você terá uma atitude que demonstre de algum modo sua raiva, mesmo que não explicitamente, mas apenas através de uma “linguagem corporal”. A tendência neste momento é você “agir”, positivamente dando um abraço, por ex, ou negativamente, falando algo que a pessoa não gostaria de ouvir, agredindo fisicamente, ou até mesmo cruzando os braços, demonstrando através de sua linguagem corporal que você está “fechado” ao se comunicar com aquela pessoa, naquele momento. O “resultado” dessas ações geram “crenças” e com o decorrer da repetição deste “círculo vicioso” estas crenças se tornam “verdades absolutas” para você, pois são o resultado constante daquele tipo de experiência que você viveu. Numa mesma situação, pessoas diferentes podem acreditar em coisas completamente divergentes, contrárias, pois o resultado de suas experiências foram diferentes.

Porém não existem verdades absolutas, tudo pode ser mudado, estamos em constante evolução, principalmente se acompanharmos toda a evolução do universo, de todos os seres vivos e do mundo que nos cerca. A natureza sempre nos demonstrou que só os “fortes” sobrevivem, e quem são os fortes, segundo a natureza? Quem se adapta melhor a determinada situação. (Quem se adapta, sobrevive, quem não se adapta, morre).

E conforme o tempo vai passando, se você continua tendo as mesmas atitudes numa mesma situação, você passa a ter o resultado daquela experiência como verdade absoluta, a acreditar que só aquele resultado existe para determinada situação, quando na verdade sabemos que não, mas o resultado não muda, porque o seu comportamento perante aquela situação não muda. Ao mudar seu comportamento, sua atitude, o resultado

com certeza mudará, não necessariamente agradará, mas você passará a ter mais uma “opção” de resultado. E, se após este “novo” resultado, você continuar mudando, tantas mais opções de resultados haverão, para uma situação que você acreditava haver apenas uma opção.

Quando você acredita que uma situação tem apenas um resultado e este resultado é único, você está “limitando” o seu poder pessoal. Quando acreditamos em algo como verdade absoluta, esta crença, resultado de nossas “experiências”, faz com que acreditemos que determinada situação é ruim ou boa, dependendo do resultado que conhecemos, e, como acreditamos que só existe um resultado para esta situação, não vemos outras saídas e, portanto o resultado tende a ser o mesmo. Este tipo de comportamento e atitude limita a nossa vida, pois desta forma, toda a gama de possibilidades que poderíamos conhecer, não conhecemos e acreditamos que não podemos ter algo que podemos, ou achamos que será fácil , algo que não é.Nossas crenças é como se fossem programas de computador, onde aquela “informação” que acreditamos ,fica armazenada no nosso subconsciente e, quando nos deparamos com aquela situação, se continuarmos acreditando nela, sem mudar o nosso pensamento, nosso comportamento, o resultado será sempre o mesmo.Por ex: se você cresceu com seu pai lhe dizendo, filho estude para ser alguém na vida. Se não estudar , você não passará de um gari como eu. Olha, sabemos hoje que muitas pessoas que hoje são comerciantes de sucesso, gente famosa, etc não tem muito estudo. Claro que o estudo ajuda, mas não quer dizer que um analfabeto ou uma pessoa que mal saiba escrever o próprio nome, não possa ser rico. Você, tendo estudo, poderá evitar que pessoas mal  intencionadas lhe prejudiquem, por exemplo, mas o fato de não ter estudo, não será impeditivo para enriquecer. Se você acreditar que é, você estará “construindo” esta verdade em seu cérebro, em seu subconsciente e, desta forma, tudo acontecerá de modo a lhe confirmar isto.

O que irá nos levar a seguinte observação:

Acredite que tudo na vida tem mais de uma “versão”. Experimente cada uma destas “versões”, mude seu comportamento até o resultado ser o que te satisfaz. Adapte-se a toda e qualquer situação, pense positivo, procure ouvir o outro e tente compreendê-lo, seja empático, certamente você terá uma nova visão para a mesma situação. Respeite isto, pois se o outro tem uma visão diferente, ele teve um resultado diferente e, enfrentou a mesma situação, através de outro comportamento, agindo de maneira diferente. Em termos comportamentais, não há certo e errado e sim a atitude positiva e a atitude negativa.

Com certeza, só temos a nos beneficiar, quando tomamos atitudes positivas. As negativas nos desgastam mais, sugam toda a nossa energia vital, e precisamos dela para trabalhar, para estudar, passear, enfim, para fazer todas as atividades a que nos propomos no nosso dia-a-dia.Isto quer dizer que ,se você estiver sempre “experimentando” suas experiências com novas atitudes, todas as experiências que você vive diariamente, mesmo aquelas que você já experimentou no passado, o errado pode ser “concertado”, só depende de nós querermos. Nós podemos  tudo, sempre!!! Não há só uma forma de experienciarmos a vida, talvez seja por isto que a vida nos encante tanto!!!

*Lúcia Marli de Souza, é paulistana, formada em administração de empresas, pós graduada em gestão bancária, palestrante, empresária, Life,  Professional e Business Coach, proprietária da Luma’s Coach, apresentadora do quadro” Coaching na prática by Luma’s Coach” no programa Inova360da Rede Record News.

    Access log