Ciência
Tecnologia e Ciência Ruptura de icebergs na Patagônia chilena provoca preocupação

Ruptura de icebergs na Patagônia chilena provoca preocupação

Pesquisadores de universidades da Alemanha e do Brasil, estudam a geleira Grey desde 2015, sob um programa de cooperação internacional

Ruptura de icebergs na Patagonia chilena provoca preocupação

Dois novos icebergs se soltaram da geleira Grey, na Patagônia chilena

Dois novos icebergs se soltaram da geleira Grey, na Patagônia chilena

REUTERS/Stringer

Dois novos icebergs se soltaram da geleira Grey, na Patagônia chilena, nas últimas semanas, em meio a receio de que tais rupturas estejam se tornando mais frequentes, disseram cientistas à Reuters.

Leia também: Uso mundial de recursos naturais triplicou desde 1970, segundo ONU

Os rompimentos, que ocorreram em 20 de fevereiro e 7 de março, ocorreram após um bloco maior de gelo --do tamanho de três campos de futebol (380 metros por 350 metros--, se separar da geleira, que fica em um lago glacial no Parque Nacional Torres del Paine, no sul do Chile, em novembro de 2017.

A ruptura mais significativa na geleira antes disso foi registrada no início dos anos 1990. Cientistas relacionam o aumento da frequência das rupturas ao aumento das temperaturas.

"Há uma frequência maior na ocorrência de rupturas no lado leste da geleira e mais dados são necessários para avaliar sua estabilidade", disse Ricardo Jana, pesquisador e membro da área de mudança climática do Instituto Antártico Chileno. (INACH)

Nos últimos dias, "a temperatura se elevou acima da média normal e chuvas intensas foram registradas em conjunto com um aumento no nível da água no lago, fatores que poderiam explicar a separação", acrescentou.

Pesquisadores de universidades da Alemanha e do Brasil, juntamente com especialistas do INACH e de outras entidades locais, estudam a geleira Grey desde 2015, sob um programa de cooperação internacional.

Em dezembro deste ano, o Chile sediará a cúpula das Nações Unidas sobre mudança climática, a COP 25.

Toda a Via Láctea tem peso equivalente a 1,5 trilhão de sóis