Tecnologia e Ciência Serviços meteorológicos melhores podem salvar milhares de vidas

Serviços meteorológicos melhores podem salvar milhares de vidas

Relatório da ONU aponta sistemas de alerta precoce e informações climatológicas evitam mortes e prejuízos

AFP
Relatório da ONU estima que melhora em serviços meteorológicos pode salvar 23 mil vidas por ano

Relatório da ONU estima que melhora em serviços meteorológicos pode salvar 23 mil vidas por ano

Pixabay


A ONU (Organização das Nações Unidas) estimou que uma melhoria dos serviços hidrometeorológicos - que incluem as previsões meteorológicas, os sistemas de alerta precoce e as informações climatológicas - poderá ajudar a salvar 23 mil vidas a cada ano, se o aquecimento global continuar.

Em seu primeiro relatório sobre as lacunas dos serviços hidrometeorológicos, a ONU afirma que a redução das emissões de gases poluentes ainda é crucial diante da mudança climática, mas incentiva a melhorar os serviços de alerta para que a população possa ser mais resiliente às consequências dos fenômenos climáticos inevitáveis do futuro.

Ciclones: entenda a formação desse fenômeno da natureza

"Os serviços meteorológicos e climatológicos baseados na ciência e nos dados constituem a base das medidas de adaptação eficazes", declarou o secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Petteri Taalas, neste relatório.

De acordo com o estudo, seria possível salvar 23 mil vidas e evitar danos pelo valor de ao menos 162 bilhões de dólares por ano, se esses serviços melhorarem.

O documento diz que investir em sistemas de alerta precoce para diferentes riscos permite prevenir perdas de "um valor ao menos dez vezes maior que seu custo", afirma a OMM em um comunicado.

Hoje, apenas 40% dos países conta com sistemas de alerta eficientes, e os dados de observação básicos, dos quais estes serviços dependem, apresentam grandes lacunas - sobretudo em países menos avançados, ou pequenos Estados insulares em desenvolvimento -, afirmou esta agência da ONU.

O relatório foi apresentado pelos líderes da Aliança para o Desenvolvimento Hidrometeorológico, formada pela OMM e por várias instituições internacionais, durante uma reunião de alto nível para buscar as soluções necessárias neste campo para uma ação climática eficaz.

"Se a contribuição dos países em desenvolvimento para as emissões de gases de efeito estufa for limitada, as consequências das catástrofes provocadas por fenômenos meteorológicos vinculados ao clima serão três vezes maiores do que em países com alta renda", disse o presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, no comunicado da OMM.

"Previsões meteorológicas exatas e previsões climáticas confiáveis são indispensáveis para a tomada de decisões", acrescentou.

Últimas