Tecnologia e Ciência Sonda dos Emirados Árabes captura imagens de três auroras marcianas

Sonda dos Emirados Árabes captura imagens de três auroras marcianas

Após décadas de estudos, astrônomos conseguiram pela 1ª vez registrar o fenômeno no planeta vermelho com tantos detalhes

Marte

Marte

Pixabay

A sonda Mars, lançada pelos Emirados Árabes, realizou sua primeira importante conquista alguns meses após chegar à órbita de Marte, em fevereiro deste ano: capturou observações sem precedentes de auroras marcianas, fenômeno que está há décadas tentando ser estudado pelos astrônomos. O registrou aconteceu enquantos os instrumentos do equipamento estavam sendo testado e antes mesmo de a missão científica formal começar.

A equipe observou três tipos de auroras com caracaterística bem particulares. Uma notura que ocorre apenas durante tempestades solares extremamente fortes, uma outra também noturna é do tipo discreta e tem um alcance menor e uma última que é visível, exclusivamente, na parte iluminada do planeta vermelho

Sonda dos Emirados Árabes registrou três tipos de auroras em Marte

Sonda dos Emirados Árabes registrou três tipos de auroras em Marte

Divulgação: Missão Hope

"Elas não são fáceis de detectar e é por isso que vê-las basicamente de imediato com a sonda foi meio emocionante e inesperado", afirmou ao portal Space.com um dos líderes da missão Hope, Justin Deighan.

"É definitivamente algo que estava em nosso radar, por assim dizer, mas olhar para nosso primeiro conjunto de dados noturnos e dizer 'Ei, espere um segundo. É isso? Não pode ser!' foi muito divertido", completou.

Anteriormente, a nave espacial Mars Express, da Esa, a agência espacial europeia, bem como o orbitador MAEVEN, da Nasa, a agência espacial norte-americana, já haviam observado uma aurora discreta — mas não com tanta clareza. Em comparação com a Hope, ambos os equipamentos orbitaram mais perto da superfície de Marte, mas não contavam com uma tecnologia tão poderosa.

Deighan explica que as auroras discretas estão ligadas a um entendimento de Marte que só começou a ser realmente desenvolvido nos anos de 1960. Nessa época, descobriu-se que Marte tinha um campo magnético muito incomum.

Diferentemente da Terra, onde as auroras estão associadas ao campo magnético, as auroras marcianas estão ligadas à crosta marciana. Na superfície do planeta vermelho, os cientistas encontraram pedaços de rochas que contém a assinatura magnética de um campo magnético global que Marte perdeu desde então.

Embora as novas observações da aurora discreta sejam as mais detalhadas até o momento, elas não esclarecem precisamente quais partículas carregadas podem ter criado o efeito. Deighan suspeita que os elétrons sejam os responsáveis, embora possam vir do Sol ou até mesmo do planeta vermelho.

Últimas