Tecnologia e Ciência Startup paulista cria aplicativo que transforma internautas em diretores de filme

Startup paulista cria aplicativo que transforma internautas em diretores de filme

Ferramenta permite criar vídeos com facilidade e já tem mais de 33 mil usuários

Startup paulista cria aplicativo que transforma internautas em diretores de filme

Projeto tem foco no Brasil e nos Estados Unidos e captou um dos maiores investimentos-anjo do País em 2012, de R$ 3 mi

Projeto tem foco no Brasil e nos Estados Unidos e captou um dos maiores investimentos-anjo do País em 2012, de R$ 3 mi

Stayfilm

Criar filmes para guardar momentos preciosos não deveria ser uma coisa tão difícil, voltada apenas para profissionais. É partindo desse conceito que foi criada a Stayfilm, startup paulistana que criou a rede social de mesmo nome.

O serviço permite a criação automática de filmes com trilhas e efeitos especiais. Lançada em outubro, a rede social já conta com mais de 33 mil usuários.

A Stayfilm foi fundada pelos irmãos Douglas e Daniel Almeida e Fabiano Simões. Por conta da experiência no mercado publicitário, a ideia era criar uma produtora, foi quando surgiu a ideia da ferramenta, conta Douglas Almeida, CEO do Stayfilm.

Alta tecnologia e alta costura: casaco muda de cor de acordo com humor de quem veste

Hitler queria transformar o Sol em arma para incinerar cidades

Atraso tecnológico deixa Brasil vulnerável e fora de missões para Marte

— Era para ser uma produtora e acabou como uma ferramenta. Nosso objetivo é desconstruir a imagem de que você precisa sentar na frente de um editor de vídeo e passar horas para deixar isso pronto. Nossa missão é essa.

Qualquer pessoa pode ter um vídeo com qualidade de cinema, com ajuda de uma ferramenta online e gratuita.

O projeto tem foco no Brasil e nos Estados Unidos e captou um dos maiores investimentos-anjo do País em 2012, de R$ 3 milhões. A expectativa dos criadores é conquistar um milhão de usuários no primeiro ano de lançamento e 5 milhões até o segundo semestre de 2015.

Captar tanto dinheiro para concretizar a ideia foi um dos desafios do Stayfilm, comenta Douglas.

— Um dos desafios de iniciar uma startup no Brasil foi a dificuldade de conseguir o dinheiro. Captar pouco dinheiro pode não ser suficiente para fazer uma ideia legal.

Almeida ainda aponta que o Stayfilm pretende entregar conteúdo de forma fácil para fora do País, o que é uma das justificativas para a necessidade de tanto capital. Segundo o diretor-executivo da startup paulistana, o negócio é replicável no mundo inteiro e tem a ambição de inspirar os brasileiros e fazer o País despontar entre grandes empresas de internet.