Astronomia

Tecnologia e Ciência Três missões espaciais chegam a Marte nos próximos dias

Três missões espaciais chegam a Marte nos próximos dias

Agência da China, dos Emirados Árabes e dos EUA enviaram sondas para estudar a atmosfera e a superfície do planeta vermelho

A sonda Hope, enviada pelos Emirados Árabes, deve pousar na órbita de Marte nesta terça-feira (9)

A sonda Hope, enviada pelos Emirados Árabes, deve pousar na órbita de Marte nesta terça-feira (9)

Freepik

Três missões espaciais que partiram da Terra em uma jornada de sete meses rumo a Marte estão previstas para chegar ao destino nos próximos dias: a Hope, dos Emirados Árabes; a Tianwen-1, da agência espacial chinesa; e a Mars 2020, da Nasa, a agência espacial-norte-americana.

A sonda Hope, enviada pelos Emirados Árabes a bordo do foguete Amal, que significa "esperança", em árabe, deve chegar à órbita de Marte nesta terça-feira (9). O objetivo da missão, a primeira do país a chegar ao planeta vizinho, é explorar a atmosfera marciana e responder perguntas-chave sobre a perda de gases hidrogênio e oxigênio no espaço.

Logo em seguida, com uma diferença de menos de 24 horas, será a vez dos chineses. A missão Tianwen-1 ("Busca pela verdade celestial" em chinês), considerada a mais ousada de todos os tempos, visa não só orbitar, como também pousar e explorar a superfície do planeta.  O rover ficará na órbita até maio quando iniciará a descida até tocar no solo.

O rover Perservance, da Nasa, que viaja a bordo do foguete Atlas V, por sua vez, será o único a pousar na superfície de Marte ainda neste mês, no dia 18. O objetivo é procurar por sinais de vida microbiana, caracterizar a geologia e o clima do planeta, coletar rochas e sedimentos e pavimentar o caminho para exploração humana além da Lua.

O veículo espacial irá mergulhar em um aterrorizante pouso na cratera Jezero, um antigo delta de rio que mede pouco mais de 48 quilômetros de diâmetro. Penhascos íngremes, poços profundos e campos de rochas podem prejudicar ou condenar a sonda, após a queda atmosférica de sete minutos.

O chefe de engenharia na fase de entrada, descida e pouso da missão Mars 2020, Allan Chen, ressaltou que, embora a Nasa tenha um bom histórico de pousos no planeta vermelho, nas últimas décadas, "o sucesso nunca está garantido".

"Isso é especialmente verdadeiro quando estamos tentando pousar o rover mais complexo que já construímos para o local mais perigoso que já tentamos pousar", afirmou Chen em coletiva realizada em 27 de janeiro.

Depois de pousar, o Perseverance de seis rodas passará por Jezero, coletando amostras das rochas e cascalho. O equiapemtno está carregando sete instrumentos, incluindo uma câmera panorâmica avançada, um radar de penetração no solo e um espectrômetro de fluorescência de raios-X para análise de elementos químicos.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas