Turistas voltarão à Estação Espacial Internacional antes do fim de 2021

Sete pessoas desembolsaram dezenas de milhões de dólares para viajar ao espaço abordo de um foguete russo desde 2001

Turistas voltarão à Estação Espacial Internacional antes do fim de 2021

Turistas voltarão à Estação Espacial Internacional antes do fim de 2021

EPA/SILICON WORLDS

Os turistas voltarão à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) antes do fim de 2021, segundo um contrato assinado nesta terça-feira (19) pela agência espacial da Rússia, Roscosmos, e a companhia dos Estados Unidos, Space Adventure.

Leia também: Maior superlua de 2019: entenda o fenômeno astronômico que ocorre nesta terça

"O consórcio estatal Roscosmos e a companhia americana Space Adventure assinaram um contrato para realizar voos curtos com destino à Estação Espacial Internacional por parte de dois cosmonautas não profissionais a bordo de uma só nave", informou a Roscosmos em comunicado.

O voo turístico, que inclui uma breve estadia na plataforma orbital, vai acontecer antes do fim de 2021.

A Roscosmos destacou que está colaborando com a Space Adventure no campo do turismo espacial desde 2001, quando o primeiro turista viajou para a estação, Dennis Tito.

No total, sete turistas pisaram na estação espacial desde então, entre eles o multimilionário húngaro Charles Simonyi, que viajou duas vezes.

O último a desfrutar da aventura, após pagar dezenas de milhões de dólares, foi o artista canadense Guy LaLiberté, fundador, CEO e diretor-executivo do Cirque du Soleil, em 2009.

Recentemente, a corporação russa Energia, fabricante do Soyuz, explicou que a decisão de suspender o turismo espacial esteve relacionada com o fato de as naves russas terem se transformado no único elo entre a Terra e a plataforma orbital, após a aposentadoria dos ônibus espaciais americanos em 2011.

Como tirar fotos da maior superlua de 2019 com a câmera do celular