Facebook
Tecnologia e Ciência União Europeia analisa se moeda do Facebook prejudica concorrência

União Europeia analisa se moeda do Facebook prejudica concorrência

Políticos, banqueiros e órgãos reguladores emitiram nos últimos meses alertas sobre a libra e os riscos de interrupção do sistema financeiro global

UE analisa moeda do Facebook

UE está examinando a proposta de moeda digital do Facebook

UE está examinando a proposta de moeda digital do Facebook

REUTERS/Dado Ruvic

 Reguladores da União Europeia estão examinando a proposta de moeda digital do Facebook, a libra, para ver se isso prejudica a concorrência, disse na quarta-feira  (04) o regulador antitruste do bloco, o mais recente órgão de vigilância a expressar preocupações sobre o movimento da rede social para a área de serviços financeiros.   

Leia também: Milhões de telefones de usuários do Facebook são expostos em servidor 

A comissária europeia da Concorrência, Margrethe Vestager, disse que o escrutínio era justificado, embora a nova moeda digital, apoiada por quatro moedas oficiais e disponível para bilhões de usuários do Facebook em todo o mundo, ainda não tenha sido lançada.    

"Podemos até olhar para novos serviços antes mesmo de serem introduzidos. É o que estamos fazendo agora, com o plano do Facebook para uma nova criptomoeda, conhecida como libra, que foi anunciada em junho", disse Vestager no texto de um discurso em uma conferência em Bergen, Noruega.    

"Estamos analisando se essas propostas criam riscos para a concorrência, para que possamos estar prontos para agir rapidamente, caso uma intervenção seja necessária", disse ela.    

No mês passado, ela enviou questionários aos 28 membros da Libra Association, com sede em Genebra, criada para administrar a nova moeda, perguntando sobre as condições de adesão, de acordo com um documento da UE visto pela Reuters.    

O documento também perguntou como os produtos e serviços relacionados à libra serão integrados às plataformas do Facebook WhatsApp, Messenger, Instagram e Calibra, como os dados do consumidor seriam usados ​​e quem os possuiria.     

Políticos, banqueiros centrais e órgãos reguladores emitiram nos últimos meses alertas sobre a libra e os riscos de interrupção do sistema financeiro global e a possibilidade de que ela possa ser usada para lavagem de dinheiro.    

O Facebook não pôde ser encontrado imediatamente para comentar nesta quarta-feira.