WhatsApp restringe serviços após linchamentos na Índia

Fraudes virais propagadas pelo app são apontadas como responsáveis por onda de violência no país. Encaminhamento de mensagens foi restrito

Encaminhamento de mensagens foi restrito por Whatsapp

Encaminhamento de mensagens foi restrito por Whatsapp

REUTERS/Dado Ruvic/File Photo/14.09.2017

O WhatsApp está restringindo, desde quinta-feira (19), a possibilidade de usuários encaminharem mensagens para vários grupos, depois que fraudes virais propagadas pelo aplicativo passaram a ser apontadas como responsáveis por uma recente onda de linchamentos e violência na Índia. As informações são da rede de notícias CNN.

Atualmente, a plataforma permite aos usuários encaminhar mensagens simultaneamente para contatos e grupos ilimitados.

"Estamos lançando um teste para limitar o encaminhamento de mensagens que será aplicado a todos que usam o WhatsApp. Na Índia, onde as pessoas enviam mais mensagens, fotos e vídeos do que qualquer outro país do mundo, também testamos um limite inferior de cinco chats por vez e removemos o botão de encaminhamento rápido ao lado das mensagens de mídia", afirmou a companhia em post no seu blog oficial.

Acompanhe o noticiário internacional no R7

O WhatsApp também está testando rotular mensagens para mostrar a usuários quando uma mensagem recebida foi apenas encaminhada e não criada por quem a enviou.

No início da semana, a plataforma já havia publicado anúncios em importantes jornais indianos para enfrentar a disseminação de desinformações.

Os espancamentos e mortes incitadas por mensagens falsas na Índia — maior mercado do WhatsApp, com mais de 200 milhões de usuários — causaram um pesadelo de relações públicas, levando autoridades a pedirem uma ação imediata.