Coronavírus

Tecnologia e Ciência YouTube vai remover vídeos com informações falsas sobre vacinas

YouTube vai remover vídeos com informações falsas sobre vacinas

Novas diretrizes da plataforma têm como objetivo combater a desinformação relacionada aos imunizantes já aprovados

Vídeos com informações falsas sobre vacinas serão removidos do YouTube

Vídeos com informações falsas sobre vacinas serão removidos do YouTube

Pexels

O YouTube anunciou, nesta quarta-feira (29), mudanças na sua política sobre desinformação na área da saúde. A principal alteração diz respeito aos vídeos que serão excluídos por divulgar informações falsas sobre as vacinas contra a Covid-19.

“Temos visto constantes alegações falsas sobre as vacinas contra o coronavírus que acabam gerando muita desinformação sobre imunizantes em geral”, destaca Garth Graham, diretor de parcerias de saúde pública do YouTube, em comunicado divulgado pela rede social.

O porta-voz do YouTube enfatiza que serão excluídos vídeos que reproduzirem alegações de que as vacinas aprovadas são perigosas, como os que dizem que os imunizantes causam câncer, autismo ou infertilidade.

Os profissionais da plataforma buscaram informações de organizações e especialistas da área da saúde de diversos países para formular as novas diretrizes. As atualizações já entraram em vigor, mas a expectativa é que elas demorem mais algum tempo para ser aplicadas em todos os conteúdos publicados, incluindo vídeos antigos.

Atualizações anteriores já estavam trabalhando para excluir da plataforma conteúdos que promoviam medicamentos sem comprovação científica, e durante a pandemia essas medidas se estenderam a regras relacionadas ao coronavírus. Já foram excluídos mais de 130 mil vídeos que continham informações falsas sobre a Covid-19 desde outubro de 2020.

Leia mais: Engenheiro brasileiro cria óculos anti-Covid para cegos

Outra novidade é uma parceria do YouTube Health com a Academia Americana de Pediatria e o Hospital Infantil da Filadélfia, mais especificamente o Centro de Educação sobre Vacinas, em que a ideia é recomendar aos usuários vídeos com informações baseadas em pesquisas desenvolvidas por essas organizações.

“A atualização das políticas de hoje é um passo importante para lidar com a desinformação sobre vacinas na plataforma. Tudo isso complementa nosso trabalho constante para aumentar a quantidade de informações confiáveis sobre saúde”, ressalta Garth Graham.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas