Tudo o que se sabe sobre as denúncias contra João de Deus

Médium é acusado por centenas de mulheres de cometer abusos sexuais durante atendimentos espirituais, na Casa Dom Inácio de Loyola

O médium João de Deus, acusado de abuso

O médium João de Deus, acusado de abuso

Giuseppe Bizzarri/Folhapress - 29.07.2011

O médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, está sendo acusado por diversas mulheres de abusos sexuais durante os atendimentos espirituais, na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás.

As denúncias surgiram no programa Conversa com Bial, da TV Globo, na sexta-feira (7). A coreógrafa holandesa Zahira Leeneke Maus, que participou de uma consulta com o médium em 2014, foi a única entrevistada que aceitou se identificar.

Nos relatos exibidos, as mulheres descreveram situações e métodos parecidos nos quais alegam terem sofrido os abusos. 

Após as primeiras denúncias, no domingo (9), outras 25 mulheres fizeram novas denúncias. Os abusos teriam ocorrido desde a década de 80, inclusive com adolescentes.

Ainda no domingo, o MP/GO (Ministério Público em Goiás) definiu uma força-tarefa para ouvir todas as vítimas. Quatro promotores, seis delegados e duas psicólogas foram designados para atenderem o caso. De acordo com o órgão, existem denúncias contra João de Deus desde 2010.

Já nesta segunda-feira (10), o MP/GO informou que quarenta mulheres entraram em contato se identificando como vítimas do médium. Destas, 35 foram pelo e-mail criado exclusivamente para denúncias: denuncias@mpgo.mp.br.

Em São Paulo, a promotora Gabriela Manssur disse que mais de 200 casos já chegaram ao conhecimento do Ministério Público.

Defesa do médium

O advogado criminalista Alberto Toron, que representa João de Deus,  se posicionou sobre as acusações de abuso sexual contra o médium em entrevista ao programa "Fantástico", também da Rede Globo. Ele afirmou que o médium “nega e recebe com indignação a existência dessas declarações”.

“O que eu quero esclarecer, que me parece importante que se esclareça ao grande público, é que ele tem um trabalho de mais de 40 anos naquela comunidade, atendendo a todos os brasileiros, atendendo gente de fora do país, sem nunca receber esse tipo de acusação”, disse o advogado.

Ainda segundo Toron, João de Deus vai se apresentar à Justiça nos próximos dias para colaborar no que for necessário.

O R7 tenta desde segunda-feira (10) ouvir o advogado, mas ainda não obteve resposta. Uma entrevista com o médium também foi pedida, também sem posicionamento do acusado.