Voos fretados saindo do Peru ainda estão autorizados por via diplomática

A Embaixada do Brasil no Peru, que fica na capital, Lima, esclareceu que, mesmo com o fechamento dos aeroportos no país a partir deste domingo (22) em meio ao avanço do coronavírus, os voos fretados para repatriação de turistas estrangeiros permanecem autorizados, mediante tramitação diplomática. A informação foi dada por meio da página oficial da Embaixada no Facebook, que tem auxiliado os brasileiros a voltar para casa.

A assessoria de imprensa do Itamaraty informou que a página tem concentrado as informações mais atualizadas sobre a situação dos brasileiros no país, assim como de medidas que têm sido tomadas para ajudá-los.

De acordo com o Itamaraty, funcionários da embaixada em Lima conseguiram permissão para se deslocar pelo país, que está em quarentena, e devem chegar amanhã em Cusco para auxiliar os brasileiros que estão por lá. Na página do Facebook, a embaixada esclarece que um diplomata e um militar brasileiros estão a caminho de Cusco.

"O governo brasileiro continua muito atento à situação dos turistas brasileiros que permanecem em Cusco e segue empenhado na busca de solução para a repatriação dos cidadãos brasileiros o mais rapidamente possível", diz a nota no Facebook.

A Embaixada ainda alerta, para as pessoas que estão buscando alternativas terrestres para deixar o país, que o Ministério do Interior do Peru mantém a proibição de trânsito interprovincial, e reforça que também está buscando soluções para aqueles que desejam retornar para o Brasil por essa via.

Segundo o Itamaraty, nesta sexta-feira (20) dois voos saíram de Lima com destino ao Brasil, com cerca de 500 passageiros. Hoje pela manhã um terceiro voo saiu de Cusco, com 182 pessoas. Esse último tem escala em Lima, onde embarcariam mais cinco pessoas.

Também neste sábado (21), 203 brasileiros que estavam no Marrocos conseguiram embarcar para o País. No Twitter do Itamaraty, também há a informação de que 1433 brasileiros estão voltando de Lisboa. Segundo a assessoria de imprensa do Itamaraty, as pessoas que estão em um cruzeiro que deve desembarcar em Gênova, na Itália, voltarão para o Brasil em um voo fretado pela própria empresa do navio.

"As embaixadas e consulados do Brasil no exterior continuam trabalhando para que todos possam voltar o mais rapidamente possível para casa", disse o Itamaraty no Twitter