Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Moraes diz que não há previsão de adiar eleições no Rio Grande do Sul

De acordo com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, há todas as condições para realizar as eleições que ocorrerão normalmente

Brasília|Gabriela Coelho, do R7, em BrasíliaOpens in new window

Polícia prende preventivamente manifestantes que ameaçaram Alexandre de Moraes
Fala foi feita durante seminário sobre inteligência artificial (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No início da sessão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o presidente da Corte, ministro Alexandre de Moraes, afirmou que não há nenhuma discussão sobre o adiamento das eleições no Rio Grande do Sul. “Temos todas as condições para fazer as eleições no RS. Tenham tranquilidade de saber que as eleições ocorrerão normalmente”, disse Moraes.

Leia também

Na semana passada, Moraes disse que vai substituir todas as urnas eletrônicas que foram danificadas nas enchentes do Rio Grande do Sul. Apesar de o número ainda não ter sido contabilizado, a Justiça Eleitoral tem reserva técnica suficiente para suprir as eventuais perdas. As eleições municipais deste ano estão marcadas para 6 de outubro.

As redes sociais com operações no Brasil e a AGU (Advocacia-Geral da União) assinaram nesta terça-feira (21) um protocolo de intenções para combater as fake news sobre a tragédia do Rio Grande do Sul, que enfrenta chuvas e enchentes. O documento, assinado pelo advogado-geral da União, Jorge Messias, e representantes da Alphabet, controladora do Google e YouTube, Meta, que responde pelo Facebook, Instagram e Whatsapp, ByteDance, que controla o Tik Tok, além do X (antigo Twitter), Kwai e LinkedIn, prevê a integridade da informação sobre o desastre que atinge o estado.

A propagação de fake news nas redes sociais sobre a situação do Rio Grande do Sul tem incomodado o Executivo. Na semana passada, a AGU pediu às redes sociais X (antigo Twitter), TikTok e Kwai que removessem, em até 24 horas, publicações com falsas notícias sobre a doação de alimentos às pessoas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

A situação no RS já deixou 161 mortos e 806 feridos, segundo o balanço mais recente da Defesa Civil local, divulgado às 9h desta terça-feira (21). Outras 85 pessoas estão desaparecidas e 581.633, desalojadas — das quais 72.561 estão em abrigos. As forças de resgate já salvaram 82.666 gaúchos e 12.358 animais. No total, cerca de 2,3 milhões de cidadãos foram afetados pela tragédia, em 464 municípios, 93% do estado.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.