Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

‘Profunda consternação’, diz governo Lula sobre morte do presidente do Irã

Em comunicado, Itamaraty presta solidariedade e pesar pela morte de Ebrahim Raisi, que perdeu a vida em acidente de helicóptero

Brasília|Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Ebrahim Raisi era presidente do Irã
Ebrahim Raisi era presidente do Irã (Ali Hamed Haghdoust/IRNA — Arquivo)

O governo federal se manifestou nesta segunda-feira (20) sobre as mortes do presidente do Irã, Ebrahim Raisi, e do chanceler iraniano, Hossein Amir Abdollahian, após um acidente de helicóptero no domingo (19). Em nota, o Ministério das Relações Exteriores disse que recebeu a notícia “com profunda consternação”.

Leia mais

“O governo brasileiro estende aos familiares do Presidente Raisi, do Chanceler Abdollahian e das demais vítimas, e ao governo e povo iranianos os mais sinceros sentimentos de solidariedade e pesar pelas irreparáveis perdas”, informou o Itamaraty.

Pelas redes sociais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou as mortes. “Com pesar soube da confirmação da morte do presidente iraniano Ebrahim Raisi e do seu chanceler, Hossein Amir Abdollahian e de todos os passageiros e tripulação, após a queda de seu helicóptero. Minhas condolências aos familiares de todas as vítima, ao governo e ao povo iraniano.”

A morte de Raisi foi confirmada nesta segunda-feira. O chefe de Estado tinha 63 anos e era presidente do Irã desde 2021. Raisi estava em uma aeronave que caiu na região de Varzaqan, no noroeste do país. O presidente e uma comitiva com o alto escalão do governo iraniano voltavam da cerimônia de inauguração de uma barragem na fronteira do Irã com o Azerbaijão.

Publicidade

O ministro do Interior, Ahmad Vahidi, disse à televisão estatal iraniana que sobrevoar a região é “impossível” devido às condições meteorológicas. No entanto, cerca de 73 equipes de resgate, drones e montanhistas haviam sido enviados ao local para realizar as buscas por terra, e os destroços da aeronave foram encontrados.

Ao todo, o comboio do presidente incluía três helicópteros. Dois deles teriam pousado em segurança. Entre os membros da comitiva, estava o ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, o governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental Malek Rahmati e o líder religioso Hojjatoleslam Al Hashem.

Publicidade

Biografia

Ebrahim Raisi assumiu a presidência do Irã em 2021, quando venceu as eleições no país com 60% dos votos. Antes disso, ele teve uma longa carreira jurídica, onde ocupou cargos como chefe do Poder Judiciário do Irã, além de ter atuado como procurador-geral de Teerã.

Raisi ficou conhecido por posições conservadoras. Ele também é um membro do clero xiita, tendo estudado em seminários religiosos importantes no Irã. Ele era visto como um potencial sucessor do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Publicidade

O sistema político do Irã é dividido entre a ala política e a religiosa. No entanto, é o aiatolá quem tem a palavra final sobre as decisões do país.

A eleição de Raisi como presidente foi marcada por controvérsias, tanto internas quanto internacionais, devido ao histórico dele de envolvimento em julgamentos e execuções em massa de prisioneiros políticos em 1988, um tema polêmico dentro e fora do Irã.

A relação do país com Israel também ficou mais tensionada durante o governo de Ebrahim Raisi. Nesse período, o Irã intensificou o enriquecimento de urânio, dificultou as inspeções internacionais e apoiou a Rússia na invasão da Ucrânia. Além disso, o país lançou ataques com mísseis e drones contra Israel durante o conflito em Gaza.


Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.