Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Veja o que se sabe sobre a morte de funcionário dentro de concessionária em BH

Circuito de segurança flagrou o crime ocorrido no bairro São Luiz, na região da Pampulha; motivação do crime ainda é investigada

Minas Gerais|Pablo Nascimento, do R7

Circuito de segurança flagrou o crime na concessionária (Reprodução / Record Minas)

A morte do funcionário de uma concessionária de veículos na região da Pampulha, em Belo Horizonte, mobilizou a Polícia Militar, nesta terça-feira (28), e, agora, segue em investigação pela Polícia Civil.

Veja a seguir o que se sabe sobre o assunto:

• Quem é a vítima?

Alexandre dos Santos Queiroz, de 65 anos. O idoso era consultor técnico na concessionária onde aconteceu o crime. De acordo com um parente, Queiroz já era aposentado, mas seguia na empresa onde ele trabalhava há 30 anos. O idoso deixa a esposa, três filhos e três netos. Ele morava na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Segundo parentes e amigos, Queiroz não tinha desafetos e era visto como um bom funcionário e bom pai.

Publicidade

• Qual a dinâmica do crime?

O assassinato aconteceu por volta das 14h15. O movimento estava tranquilo na loja. Um circuito de segurança flagrou toda a cena. O vídeo mostra Queiroz chegando a uma mesa de trabalho. O autor do crime o segue, já com com a arma nas mãos. Quando o consultor se vira, o atirador já dispara diversas vezes contra ele. A vítima cai e o autor continua atirando. Enquanto os disparos eram feitos, as pessoas que estavam na loja fugiram.

Publicidade

• O que alega o suspeito?

O autor fugiu logo após o crime. Ele tentou fugir pela Avenida Pedro I, importante via da região. O suspeito foi preso, em seguida, por uma equipe da Polícia Militar. Em depoimento, o homem de 58 anos disse que tinha como objetivo fazer um acerto de contas. Ele alegou que foi cliente da loja há aproximadamente dois anos, quando realizou um conserto de carro. Segundo o investigado, o reparo teria apresentado problemas.

Publicidade

A Polícia Militar informou à reportagem que o veículo deu entrada na loja, pela última vez, em 2022. A concessionária, no entanto, informou que não há nenhum registro com o nome do suspeito como cliente. A motivação do crime ainda é investigada.

Ainda segundo a PM, os agentes foram ao apartamento do suspeito e encontraram um cenário precário. Os militares apreenderam 20 munições e uma pistola calibre 380, que teria sido usada no crime.

Leia também

Circuito de segurança flagra momento em que homem é morto em concessionária de BH:

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.