Cuidado com a exposição da vida pessoal no trabalho

Tenha limites ao abordar assuntos íntimos no ambiente profissional

Abrir demais a intimidade pode ser um erro fatal
Abrir demais a intimidade pode ser um erro fatal Getty Images

O trabalho já virou parte do dia a dia das pessoas, muitas, inclusive, o enxergam como parte de sua vida pessoal. Mas, em um ambiente corporativo, as pessoas estão sempre sendo observadas e avaliadas. Então até que ponto deve-se expor a vida pessoal no trabalho?

Uma organização, normalmente, oferece um ambiente de integração aos seus colaboradores, o que é mais uma forma de gerar satisfação e troca de informações e conhecimentos entre as equipes. Muitas vezes, colegas de trabalho tornam-se amigos e essa condição é normal desde que não interfira no rendimento de ambos e que assuntos pessoais tenham limites.

Assista à Record onde e quando quiser

Para Bibianna Teodori, Executive e Master Coach, não há problemas em abordar assuntos pessoais no trabalho, mas há limites: “Não é totalmente negativo conversar sobre assuntos pessoais durante o expediente. Porém, é necessário prestar atenção em alguns fatores para não incomodar os demais nem prejudicar o fluxo das atividades. Abrir demais a intimidade na empresa pode ser um erro fatal para quem almeja um cargo de chefia, por exemplo”.

Quais são os limites de exposição no ambiente de trabalho?

Sempre que quiser compartilhar algo de sua vida pessoal, pense se esta informação pode ser dividida sem constranger alguém, ou você mesmo, se a informação pode te prejudicar de alguma forma e, principalmente, se coloque no lugar das pessoas que ouvirão. O que você contará é algo que gostaria ou não de ouvir dos outros?

Procure desenvolver amizades aos poucos. É bom evitar se tornar excessivamente próximo de alguém em um curto espaço de tempo, pois é impossível avaliar uma pessoa sem observar como ela lida com adversidades e frustrações. Por mais que seu instinto lhe diga que pode criar uma amizade rapidamente, seja racional. Sua carreira pode depender disso!

*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho