EUA impõem sanções contra terroristas em ação conjunta com a Arábia Saudita

EUA impõem sanções contra terroristas em ação conjunta com a Arábia Saudita

Washington - O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, impôs suas primeiras sanções conjuntas antiterrorismo com a Arábia Saudita, nesta sexta-feira em que o presidente viajou para o país árabe.

O Departamento de Estado anunciou sanções contra o líder do Hezbollah, Hashem Safieddine, e contra o líder do Estado Islâmico Muhammad al-Isawi, que opera na península do Sinai, no Egito.

A Arábia Saudita se uniu nas sanções contra Safieddinem, que supostamente supervisiona o império financeiro do partido com sede no Líbano.

"Como resultado, qualquer ativo que ele detenha na Arábia Saudita está congelado e transferências através do setor financeiro do reino estão proibidas", disse o Departamento de Estado em um comunicado.

O Hezbollah é próximo do Irã, o principal rival da Arábia Saudita no Oriente Médio, e tem desempenhado um papel importante no governo sírio de Bashar al-Assad. Os sauditas também acusam o Irã e o Hezbollah de inflamarem a guerra no Iêmen ao apoiar os rebeldes houthis.

Também nesta sexta-feira, o Departamento do Tesouro dos EUA impôs sanções contra dois líderes tribais do Iêmen, Hashim Muhsin Aydarus al-Hamid e Khalid Ali Mabkhut al-Aradah.

O departamento afirma que os dois facilitaram transferência de armas e dinheiro e movimentaram pessoas em apoio ao Al-Qaeda na Península Árabe.

O governo Trump disse que os quatro homens "cometeram, ou representam um sério risco de cometer, atos de terrorismo" e ameaçam a segurança nacional dos EUA.

Em todos os casos, as sanções restringem os alvos de terem acesso a financiamento. Trump deve chegar a Riad na manhã de sábado. Fonte: Associated Press.