Justiça venezuelana confirma condenação do líder de oposição Leopoldo López

Decisão aconteceu um dia após o presidente dos EUA Donald Trump pedir sua libertação

Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela ratificou a condenação de López  a quase 14 anos de prisão
Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela ratificou a condenação de López a quase 14 anos de prisão Agência Brasil

A Sala de Cassação do Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela ratificou, nessa quinta-feira (16), a condenação a quase 14 anos de prisão do líder da oposição venezuelana, Leopoldo López, um dia depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter pedido sua libertação.

"Declarou-se inadmissível o recurso de cassação. É uma realidade e um ato de absoluta injustiça", disse à AFP o advogado de defesa de López, Juan Carlos Gutiérrez, acrescentando que o caso fica encerrado na Venezuela e que, agora, resta recorrer a instâncias internacionais.

"Não só está sendo ratificada a condenação de um homem inocente, o que por si é grave, mas se destrói o pouco que resta de Estado de Direito na Venezuela. Não é um ato jurídico, mas político", afirmou Gutiérrez.

Líder de oposição venezuelano Leopoldo López é condenado a quase 14 anos de prisão

O governo venezuelano qualificou a audiência concedida por Trump a Lilian Tintori, mulher de Leopoldo López, como uma "intromissão e uma agressão" e a atribuiu, segundo a chanceler Delcy Rodríguez, a "lobbies" da oposição venezuelana "com a máfia de Miami".

"Enquanto o presidente Maduro propõe iniciar uma nova era de relações de respeito, Donald Trump se solidariza com o chefe de ações violentas", reagiu Rodríguez.

"Já esgotamos todos os recursos que a legislação venezuelana contempla. Vamos recorrer às [instâncias de direitos humanos das] Nações Unidas. Em duas semanas, estaremos apresentando o documento", disse Juan Carlos Gutiérrez.