Bretas concede prisão domiciliar a ex-subsecretário do Rio preso na Lava Jato

Luiz Carlos Veloso admitiu que recebeu altas somas de dinheiro de construtoras

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, responsável pelos processos da Operação Lava Jato e seus desdobramentos no Rio de Janeiro, concedeu prisão domiciliar ao ex-subsecretário estadual de Turismo do governo Luiz Fernando Pezão, Luiz Carlos Veloso. Ele estava preso desde março, acusado de envolvimento em esquema de recebimento de propina de construturas da Linha 4 do metrô.

Na decisão, Bretas considerou que Veloso estava colaborando com a Justiça e que não havia mais necessidade de sua prisão provisória. No entanto, o juiz não aceitou o pedido da defesa de revogação da prisão preventiva, e decidiu pelo regime de prisão domiciliar.

O ex-subsecretário admitiu que por quatro vezes recebeu altas somas de dinheiro das construtoras Odebrecht e Carioca Engenharia, em valores superiores a R$ 300 mil, mas disse que ficou com apenas parte deste total, entre R$ 80 mil e R$ 100 mil. Ele admitiu que tinha ciência de que se tratava de dinheiro ilícito.