Parceria entre Prefeitura e Associação Comercial amplia monitoramento de câmeras na Lapa

Secretaria de Ordem Pública terá acesso a mais 12 câmeras na região central do Rio

Seop terá acesso a 12 câmeras de monitoramento da Lapa
Seop terá acesso a 12 câmeras de monitoramento da Lapa

Uma parceria entre a Seop (Secretaria de Ordem Pública) e a Associação Comercial, firmada nesta quinta-feira (16), vai ajudar a ampliar e melhorar o monitoramento eletrônico da Lapa, região central Rio. A secretaria terá acesso a 12 câmeras do Projeto Sociedade Mais Segura instaladas na região.

As imagens serão recepcionadas pelo Centro de Operações Rio, Centro de Controle Operacional e pela Guarda Municipal, após os ajustes técnicos necessários. Segundo a Associação Comercial, as câmeras são móveis e de grande alcance, instaladas em postes padronizados em meio ao público. A intenção da instituição é aumentar para 65 o número de câmeras que fazem o monitoramento do Centro. 

— Queremos estreitar o contato com a secretaria e a Guarda para manifestar o nosso interesse em participar do processo de reformulação da segurança pública da cidade. O Conselho de Segurança existe há mais de 30 anos, e nesse contexto de crise procuramos trazer o foco para questões mais urgentes. Realizamos reuniões mensais com diversos órgãos de segurança pública, área alinhada com a questão do turismo e, consequentemente, à economia da cidade — afirmou o presidente do Conselho da Associação Comercial do Rio, Luciano Porto, adiantando a intenção de criar um comitê para acompanhamento emergencial em função da sensação mais recente de insegurança.

No encontro, a secretaria também apresentou as ações que estão em desenvolvimento voltadas à prevenção primária da criminalidade, como o Plano Estratégico de Segurança Pública da Prefeitura do Rio. Com previsão de ser apresentado ao prefeito Marcelo Crivella (PRB) em meados de março, o projeto prevê a criação do Gabinete de Gestão Integrada Municipal para ajudar em ações que visem à redução dos índices de criminalidade na cidade.

— Um dos exemplos desta cooperação do município será nos casos de perturbação do sossego, uma das principais ocorrências atendidas pela PM e que poderiam ser tratadas no âmbito municipal, com a delegação de poder de polícia à GM-Rio — disse Paulo Amendola, secretário municipal de Ordem Pública.