Ouvidoria da Polícia instaura procedimento para apurar caso de jovem espancado na zona sul de SP

Crime teria sido cometido por PMs do 22º Batalhão da Polícia Militar

Jovem foi espancado na rua onde mora, na zona sul de SP
Jovem foi espancado na rua onde mora, na zona sul de SP Reprodução/Facebook

A Ouvidoria Geral de Polícia de São Paulo instaurou, nesta quinta-feira (20), um procedimento para apurar o caso que um adolescente teria sido torturado por policiais militares na Vila Missionário, zona sul de São Paulo, na última segunda-feira (17).

O pedido de apuração feito pelo advogado Ariel de Castro Alves, coordenador da Comissão da Criança e do Adolescente do Condepe (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo). Os PMs são acusados de tortura e tentativa de homicídio.

O advogado destaca, no pedido de apuração, que alguns o adolescente de 16 anos foi vítima de agressões, supostamente praticadas por Policiais Militares vinculados ao 22º Batalhão da Polícia Militar da cidade de São Paulo.

A Ouvidoria de Polícia afirmou que encaminhou os requerimentos para que sejam instaurados Inquéritos Policiais pela Corregedoria Geral da Polícia Militar e pela Polícia Civil. Além disso, o Ministério Público Estadual já foi acionado para acompanhar as investigações.

O adolescente segue internado em coma induzido no Hospital Geral da Pedreira. De acordo com a Ouvidoria, os familiares querem que o adolescente seja transferido para o Hospital das Clínicas porque, segundo eles, o local onde o jovem está não tem condições para atendê-lo.