Saúde

19/7/2013 às 18h58 (Atualizado em 20/7/2013 às 09h35)

FMUSP pede que Mais Médicos seja retirado da pauta do Congresso

De cordo com os diretores, as medidas do governo não auxiliam a resolver as questões da saúde

Agência Estado

A direção da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) pediu, em posição definida nesta quinta-feira (18), que a medida provisória 621, que estabelece o plano Mais Médicos, seja tirada da ordem do dia do Congresso. Além disso, a FMUSP requer a continuidade do Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras) como a forma exclusiva de aceitação de profissionais de outros países, de acordo com informações da Agência Brasil.

Entre as regras previstas no Mais Médicos, está a elaboração de outro período para a graduação de medicina. Os estudantes que passaram no curso a partir de 2015 terão de exercer atividades por dois anos no Sistema Único de Saúde (SUS) para conseguir o diploma. Outro ato previsto é a contratação de médicos estrangeiros para atuar no serviço público nos arredores dos municípios e no interior do Brasil.

De acordo com os diretores da FMUSP, as medidas do governo não auxiliam a resolver as questões da saúde pública “Se a questão é a falta de médicos, o adiamento de sua formação irá piorar o quadro atual.

Entidade rompe com o governo em retaliação ao programa Mais Médicos

Ministério da Saúde lamenta saída de entidades médicas de comissões

Se a questão é distribuição dos médicos por todas as regiões do Brasil, a MP não oferece respostas para a migração desses estudantes com a necessária supervisão desses alunos”, diz o comunicado da instituição.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe

Guia Mais - Saúde

Farmácia/Drogaria
Hospitais
Consultórios
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!