Brasil Brasileiro é extraditado da Europa por tráfico de mulheres

Brasileiro é extraditado da Europa por tráfico de mulheres

Catarinense teria mantido vítima em cárcere privado na Bielorrússia. Ele estava preso desde o ano passado por exploração sexual

  • Brasil | Do R7

Catarinense chegou ao Brasil na semana passada, onde vai responder pelos crimes

Catarinense chegou ao Brasil na semana passada, onde vai responder pelos crimes

Pixabay

A PGR (Procuradoria-Geral da República) informou nesta segunda-feira (8) que um catarinense investigado de integrar um esquema de tráfico e exploração sexual de mulheres foi extraditado da Bielorrúsia ao Brasil na última quinta-feira (4). Ele estava preso desde outubro do ano passado, em Minsk, capital do país europeu, a pedido da Justiça brasileira.

A Secretaria de Cooperação Internacional da PGR acompanha o caso.

A investigação foi aberta após uma das supostas vítimas ter procurador o Consulado Brasileiro na Bielorrússia para relatar que estava sendo submetida, desde janeiro do ano passado, a violência e cárcere privado para fins de prostituição.

Em depoimento, a disse que morava no apartamento do investigado e, lá, sofria abusos sexuais, sendo obrigada a gravar vídeos pornográficos, os quais eram vendidos a clientes pela internet.

A denunciante relatou que não podia sair de casa e era submetida a dietas rigorosas, tendo ficado até quatro dias sem comer. Também sofria outros tipos de tortura e era forçada a cooptar mais meninas para serem exploradas sexualmente.

A Justiça determinou também a busca e apreensão na casa do pai do brasileiro, em Porto Alegre (RS). Equipamentos eletrônicos, como celulares, computadores, além drogas e outros objetos foram apreendidos para auxiliar na investigação da Procuradoria.

Últimas