Brasil MPF denuncia fraude de R$ 200 mi no seguro-desemprego

MPF denuncia fraude de R$ 200 mi no seguro-desemprego

Ao menos 20 pessoas foram denunciadas como parte do grupo que criava demissões e empresas para retirar benefício de cofres públicos 

MP-SP denuncia fraude ao seguro-desemprego que roubou até R$ 20 mi

Identidades forjadas apreendidas pela operação do MPF

Identidades forjadas apreendidas pela operação do MPF

Divulgação/ MPF

O MPF (Ministério Público Federal) em São Paulo denunciou nesta quarta-feira (5) uma fraude que roubou mais de R$ 200 milhões dos cofres da União, simulando a existência de empresas e demissões para obter o benefício do seguro-desemprego. 

Entre 2015 e 2019, as investigações identificaram que o grupo sacou indevidamente mais de 13 mil parcelas de seguro-desemprego, por meio da falsificação de documentos e da criação de ao menos 408 empresas de fachada em diversos Estados do país.

Além de pedir a condenação dos envolvidos por estelionato e formação de organização criminosa, o MPF requer o pagamento de indenização à União no valor de R$ 205,5 milhões.

Ao menos 20 pessoas foram denunciadas pelo MPF pelas fraudes.  A organização criminosa foi desarticulada pela operação Mendacium II, em abril deste ano. Até agora, foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra dez suspeitos denunciados. 

A partir de uma ocorrência de estelionato, em 2015, os agentes do MPF identificaram uma rede criminosa que utilizava centenas de empresas de fachada para inserir vínculos empregatícios e atos demissionais falsos nos sistemas da Previdência Social e do Ministério do Trabalho. Desta forma, a organização recebia ilegalmente parcelas de seguro-desemprego.

O grupo fazia pedidos de seguro-desemprego e abertura de contas em locais, dias e horários diferentes, para evitar que atendentes reconhecessem os suspeitos. Eles apresentaram requerimentos fraudulentos em todos os Estados brasileiros com a exceção do Amapá e Roraima.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas