Nova fase da Operação Lava Jato prende presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez

Policiais federais cumprem 59 mandados de prisão e busca e apreensão em quatro Estados

A PF (Polícia Federal) informou que realiza nesta sexta-feira (19) a 14ª fase da Operação Lava Jato, que investiga esquema bilionário de corrupção envolvendo a Petrobras, empreiteiras e partidos políticos, e reportagens disseram que a Odebrecht e a Andrade Gutierrez são alvos da ação.

Até então, os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques Azevedo, aparecem entre os presos pela PF, além de outros executivos das construtoras.

Nesta nova fase da operação, a polícia está expandindo os investigados nos crimes de formação de cartel, fraude a licitações, corrupção, desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, entre outros, para "duas grandes empreiteiras com grande atuação no mercado nacional e internacional, e contratantes regulares junto a Petrobras", segundo comunicado.

Presidente da Odebrecht ficou "completamente chocado" com prisão

Policiais federais cumpriram 59 mandados de prisão e busca e apreensão em quatro Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Segundo o comunicado da PF, são 38 mandados de busca e apreensão, nove mandados de condução coercitiva, oito mandados de prisão preventiva e quatro mandados de prisão temporária.

Além dos presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques Azevedo,foram expedidos mandados de prisão para Marcio Faria, Rogério Araújo, Alexandrino Alencar e Cesar Ramos Rocha, executivos da Odebrecht; o empregado da Petrobras Celso Araripe; Elton Negrão de Azevedo Júnior, Paulo Roberto Dalmazzo, Flávio Lucio Magalhães e Antônio Pedro Campelo de Souza, da Andrade Gutierrez e o ex-funcionário da Odebrecht João Antônio Bernardi Filho. Desses 12, apenas Dalmazzio ainda está foragido e, segundo informações obtidas pela TV Record, deve se entregar ainda hoje para Policia Federal.

Odebrecht

Em comunicado, a Odebrecht confirmou que a PF estava em seus escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro para o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Porém, a nota não cita o presidente.

A empresa diz que os mandados “são desnecessários, uma vez que a empresa e seus executivos, desde o início da Operação Lava Jato, sempre estiveram à disposição das autoridades para colaborar com as investigações”.

Andrade Gutierrez

A empreiteira Andrade Gutierrez também emitiu um comunicado.

"A Andrade Gutierrez informa que está acompanhando o andamento da 14ª fase da Operação Lava Jato e prestando todo o apoio necessário aos seus executivos nesse momento. A empresa informa ainda que está colaborando com as investigações no intuito de que todos os assuntos em pauta sejam esclarecidos o mais rapidamente possível. A Andrade Gutierrez reitera, como vem fazendo desde o início das investigações, que não tem ou teve qualquer relação com os fatos investigados pela Operação Lava Jato, e espera poder esclarecer todas os questionamentos da Justiça o quanto antes."