Repórter Record Investigação recebe Prêmio Anamatra de Direitos Humanos

Lúcio Sturm, que representou a equipe, falou da importância do prêmio, o 6º recebido pela reportagem

Fabiana Lopes (jornalista  da Record), Germano Siqueira (presidente da Anamatra), Noêmia Porto (Diretora da Cidadania e Direitos Humanos), jornalista Lucio Sturm e Karina Lajusticia (assessora executiva institucional da Record)

Fabiana Lopes (jornalista da Record), Germano Siqueira (presidente da Anamatra), Noêmia Porto (Diretora da Cidadania e Direitos Humanos), jornalista Lucio Sturm e Karina Lajusticia (assessora executiva institucional da Record)

Gláucio Dettmar

A equipe do Repórter Record Investigação recebeu o Prêmio Anamatra de Direitos Humanos 2016, na noite desta quinta-feira (24/11), com a reportagem “Eternas Escravas”, que denunciou um escândalo de escravidão de crianças negras e pobres no quilombo Kalunga, próximo à Brasília.

A cerimônia aconteceu no Museu de Arte do Rio de Janeiro organizada pela Anamatra – Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho.

O jornalista Lúcio Sturm, que representou a equipe, falou da importância do prêmio, o sexto recebido pela reportagem este ano. “O Prêmio da Anamatra é muito especial, pois vem de uma entidade que defende os mesmos princípios que a imprensa, que são a cidadania e os direitos humanos. É uma honra muito grande para toda a equipe ter esse reconhecimento dos juízes do Trabalho”, disse.

Também receberam o prêmio: a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros, na categoria Cidadã, com o trabalho “Eugênia, a Engenheira”; o projeto “Graffiti na Escola”, na categoria Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC); o jornalista Thiago Tanji, da Revista Galileu, com a reportagem "Escravos da Moda" na categoria Imprensa, subcategoria impresso; a reportagem do jornalista Hebert Lenin, da CBN Paraíba, com o tema "Marcada para lutar", na categoria Imprensa, subcategoria rádio; e Sérgio Ricardo Oliveira foi premiado na categoria Fotografia.

Pela relevância das iniciativas dentro da temática do prêmio, menções honrosas foram entregues para alguns trabalhos, entre eles, a reportagem especial do Câmera Record, “A rota da castanha: exploração sem limite”, sob o comando do repórter Daniel Motta e equipe.

O presidente da Anamatra, Germano Siqueira, abriu a solenidade e ressaltou que as realidades do trabalho e dos direitos humanos se harmonizam. “O que nós vimos em muitos trabalhos recebidos para a premiação, no entanto, foi a expressão da antítese entre a realidade do trabalho degradante e os direitos humanos”, disse.

Presidentes das Amatras, magistrados de diversas Regiões, entre outras autoridades participaram do evento. A assessoria da diretoria nacional institucional esteve presente representando a Record TV.

Leia mais notícias de Brasil