Marília Mendonça

Brasília Empresa do avião de Marília foi autuada por jornada excessiva

Empresa do avião de Marília foi autuada por jornada excessiva

De acordo com registros da Anac, equipe chegou a fazer carga horária superior a 18 horas em um dia

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Acidente ocorreu na tarde desta sexta

Acidente ocorreu na tarde desta sexta

Divulgação/Super Canal

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) atuou pelo menos três vezes a empresa PEC Táxi Aéreo, proprietária do avião que levava a cantora Marília Mendonça, por carga horária excessiva da tripulação. De acordo com uma das ocorrências, foi constatado que os funcionários trabalharam por até 18 horas seguidas.

A autuação ocorreu em janeiro deste ano e, na ocasião da fiscalização, ficou constatado que os aeronautas, categoria que envolve pilotos e copilotos, extrapolaram a jornada de trabalho em sete horas e dezessete minutos.

O caso também chegou à Procuradoria da República em Goiás, que apontou outras falhas, como problemas nos para-brisas da aeronave. O avião que transportava a cantora e a equipe caiu em Caratinga, em Minas Gerais. Antes do impacto, ele atingiu e rompeu cabos de alta-tensão nas proximidades da pista de pouso e decolagm.

 O R7 tentou contato por telefone com a empresa, mas as ligações não foram atendidas. O site da companhia estava fora do ar no começo da noite.

Últimas