Brasília Júri condena homem que espancou desafeto com taco de beisebol

Júri condena homem que espancou desafeto com taco de beisebol

O réu e um comparsa espancaram a vítima em novembro do ano passado, pois ela teria urinado no muro da casa do agressor

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Tribunal do Júri de Ceilândia considerou agressor culpado

Tribunal do Júri de Ceilândia considerou agressor culpado

Divulgação/TJDFT

Um homem que tentou matar um desafeto com um taco de beisebol foi condenado por tentativa de homicídio com motivo fútil no Distrito Federal. A decisão é do Tribunal do Júri de Ceilândia, que condenou o réu a sete anos de prisão em regime semiaberto. Edson Roberto Miranda de Barros espancou a vítima pois ela teria urinado no muro da casa dele.

Edson terá o direito de recorrer em liberdade. A decisão é desta quinta-feira (21), quase um ano depois do crime. O agressor estava acompanhado de um comparsa quando, em 29 de novembro de 2020, surpreendeu a vítima em via pública.

Além dos golpes com o bastão, os agressores desferiram socos e chutes e só pararam por acreditarem que a vítima estava morta. “As consequências do crime revelam-se bem graves”, afirmou o juiz e presidente do Tribunal do Júri de Ceilândia, Lucas Sales da Costa na sentença.

“Segundo relatórios médicos anexados aos autos, a vítima sofreu fraturas na região dos olhos e do nariz, o que ensejou inclusive desvio de septo. Ficou cerca de 15 dias afastada do trabalho e alega sentir dores na área dos impactos atingidos até a presente data. Lesões graves, portanto, que legitimam maior punição”, afirmou o magistrado.

Últimas