Brasília Ministros de Estado e deputados pedem orações por Bolsonaro

Ministros de Estado e deputados pedem orações por Bolsonaro

Presidente está internado em SP com obstrução intestinal. Ele passa por exames para avaliar necessidade de cirurgia

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Presidente Jair Bolsonaro está internado em hospital da Rede D'Or, em SP

Presidente Jair Bolsonaro está internado em hospital da Rede D'Or, em SP

Repordução/Instagram

Ministros de estado e deputados aliados publicaram em suas redes sociais, nesta segunda-feira (3), desejos de melhoras do presidente da República, Jair Bolsonaro, internado em São Paulo com um quadro de obstrução intestinal. O mandatário afirmou que começou a passar mal após o almoço no último domingo (2) e não descartou a possibilidade de passar por uma cirurgia de obstrução interna na região abdominal.

O ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, publicou um texto em que informa que está a caminho de Minas Gerais para acompanhar regiões que sofrem com intensas chuvas e desejou melhoras ao presidente. 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, também publicou no seu perfil no Twitter uma mensagem em referência ao presidente. "O ano de 2022 já começa com desafios para o PR @jairbolsonaro. Mas sabemos que ele é um guerreiro incansável e que tem uma importante missão pelo #Brasil, por isso seguimos com nossas orações reforçadas para uma recuperação total, o quanto antes", escreveu.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos, também publicou uma mensagem em que pede "uma corrente de oração" e ressalta que o quadro vivido pelo mandatário é "sequela da facada". 

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, se manifestou pelo Twitter e também ressaltou que a internação é consequência "da facada e das quatro cirurgias" já feitas por Bolsonaro.

Bolsonaro estava de férias no litoral de Santa Catarina desde o último dia 27, e a previsão de retorno era a próxima terça-feira (4). Entretanto, depois de começar a passar mal neste domingo (2), ele foi para São Paulo na madrugada desta segunda-feira e está internado no Hospital Vila Nova Star, da Rede D'Or. O presidente deu entrada no hospital com um quadro de obstrução intestinal, que ocorre quando o material digerido é impedido de passar pelo intestino.

"Comecei a passar mal após o almoço de domingo. Cheguei ao hospital às 03h00 de hoje. Me colocaram sonda nasogástrica. Mais exames serão feitos para possível cirurgia de obstrução interna na região abdominal. É a segunda internação com os mesmos sintomas, como consequência da facada (06/set/18) e 4 grandes cirurgias", publicou o presidente nas redes sociais.

Na semana passada, Bolsonaro foi recebido pelo deputado federal Coronel Armando (PSL-SC), que no dia seguinte informou que fez um teste e estava com Covid-19. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, quando questionado, disse apenas que Bolsonaro estava "ótimo" após contato com o infectado. Não se falou se o presidente fez teste para Covid-19, e ele seguiu normalmente com as férias em SC, tendo tido contato com a população na praia em diversas ocasiões sem uso de máscara de proteção.

Deputados federais aliados do presidente, em especial da bancada do PSL, também desejaram melhoras ao mandatário pelas redes sociais. Bibo Nunes (PSL-RS) afirmou que "Bolsonaro logo estará em atividade novamente". "A qualquer sinal de problema nos intestinos é prudente uma revisão. Saúde, presidente!", escreveu no Twitter. 

Na mesma rede social, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) afirmou: "Mais uma consequência da tentativa de assassinato que o presidente sofreu em 2018! Melhoras, presidente!". Também do PSL, Alê Silva (MG) escreveu: "Força @jairbolsonaro o Brasil do bem está contigo. Estamos em oração pelo senhor". Os parlamentares Sanderson (RS) e Filipe Barros (PR), também do PSL, manifestaram apoio ao mandatário pelo Twitter.

Entre os senadores, o líder do Podemos, Alvaro Dias (PR), desejou melhoras a Bolsonaro. "Desejo ao presidente pronto e eficaz restabelecimento. As diferenças políticas não podem endurecer o coração. Saúde!", escreveu. O senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) também se manifestou pelas redes sociais. "Meus votos de pronta recuperação ao presidente @jairbolsonaro", disse.

Últimas