Cidades BA: Defesa Civil reconhece situação de emergência em mais 20 cidades

BA: Defesa Civil reconhece situação de emergência em mais 20 cidades

Mais de 220 mil pessoas foram afetadas pelas enchentes em 51 municípios. Onze pessoas morreram e 267 ficaram feridas

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV e Agência Estado

Mais de 220 mil pessoas foram afetadas pelas enchentes em 51 cidades da Bahia

Mais de 220 mil pessoas foram afetadas pelas enchentes em 51 cidades da Bahia

Reprodução Record TV

Uma portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (15), reconhece a situação de emergência em mais 20 municípios baianos, em razão das chuvas intensas na região. O total chega a 51 cidades atingidas e mais de 220 mil pessoas afetadas pelas enchentes. Onze morreram.

Os novos municípios são: Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Guaratinga, Ibirapuã, Ilhéus, Itabela, Itagimirim, Itamaraju, Itanhém, Itapebi, Jucuruçu, Lajedão, Macarani, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas, Vereda.

Em outra portaria, também publicada no Diário Oficial de hoje, a secretaria torna sem efeito o reconhecimento da situação de emergência em Anagé, Canavieiras, Itapetinga, Marcionílio Souza e Santanópolis. Segundo o ato, a medida leva em conta retificação feita pelo decreto estadual.

A população ainda tenta fazer a limpeza das casas tomadas pela água e lama. Nas ruas, há pilhas de móveis e objetos que viraram entulho.

"Não tenho cama para deitar, perdi fogão, perdi praticamente tudo", diz uma moradora à Record TV

Dona Arlinda, de 74 anos, vê os cômodos vazios na casa e não sabe como recomeçar: "Nem a  comida tem para comer, nada, nada, nem um pacote de pó de café ficou." 

Mortes

Itamaraju, no extremo sul da Bahia, foi a cidade mais afetada pelos temporais. Das 11 mortes no estado, três aconteceram na comunidade quando uma árvore caiu sobre duas casas. Morreram duas crianças de 4 e 9 anos e o tio delas, de 26 anos, que precisava de cuidados especiais e vivia com a mãe.

Os pais e a avó das crianças escaparam por pouco: "Não teve como nós fazermos nada. A minha casa caiu em cima da casa da minha sogra, então não deu. Foi tudo muito rápido".

Na mesma cidade, na zona rural, uma equipe do grupamento aéreo resgatou um bebê de 2 meses. O menino estava desnutrido e precisava de atendimento médico.

Segundo o último balanço, 267 pessoas ficaram feridas no estado, 6.371 estão desabrigadas e há 15.199 desalojados.

Últimas