Diário Digital Mesmo com prisão de assassino, familiares de Silvana dizem que não se sentem tranquilos

Mesmo com prisão de assassino, familiares de Silvana dizem que não se sentem tranquilos

“Eu achei que com a prisão desse monstro nós teríamos paz, mas ainda tem muitos “porquês” na nossa cabeça”, a fala é de uma das tias de Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, morta com golpes de barras de ferro na cabeça por uma “desavença comercial” no valor cobrado no programa. O primeiro caso […] O post Mesmo com prisão de assassino, familiares de Silvana dizem que não se sentem tranquilos apareceu primeiro em Diário Digital.

“Eu achei que com a prisão desse monstro nós teríamos paz, mas ainda tem muitos “porquês” na nossa cabeça”, a fala é de uma das tias de Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, morta com golpes de barras de ferro na cabeça por uma “desavença comercial” no valor cobrado no programa. O primeiro caso de feminicídio na Capital ocorreu há dez dias, aparentemente, pelo fato de se tratar de uma garota de programa, além do menosprezo a condição feminina.

Desde o dia em que foi morta, a família de Silvana não aceita esta versão. Descrevem uma mãe de três crianças, solteira, que trabalhava como diarista ou vendendo marmitas para sustentar os filhos, com bastante dificuldade.

No velório, mãe, avó e outros parentes relataram inúmeras dúvidas sobre as circunstâncias do assassinato e o depoimento das amigas de Silvana confirmando que ela teria sido morta por um cliente de programa sexual.

Na manhã desta sexta-feira, a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) prendeu um pedreiro de 27 anos, no Jardim Los Angeles, que confessou o crime. A polícia, chegou até ele após quebra do sigilo telefônico da vítima, já que o autor roubou o celular de Silvana e vendeu por R$500,00.  

“Nós soubemos pela televisão que ele tinha sido preso, ficamos chocados. Contei a minha irmã (mãe da vítima), só que não tive coragem de saber os detalhes. Não é que a gente não queria acreditar, mas não acho que ele a matou só pelo o que falaram. Têm coisas que ainda precisam ser esclarecidas”, disse a tia de Silvana que terá a identidade preservada.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
Familiares e filha da vítima no velório (Foto Luciano Muta)

Ainda segundo a tia, a mãe de Silvana teve que levar os filhos dela de 12, 9 e 4 anos para uma fazenda no interior porque as crianças não conseguem sair de casa, ir à escola, devido a repercussão e o modo como o crime ocorreu.

“Minha irmã está voltando da fazenda e ainda hoje vamos até a delegacia para conversar com a polícia e esclarecer tudo”, finaliza.

Desfecho - As investigações que levaram a prisão do assassino foram conduzidas em parceria com o Núcleo de Investigação Policial da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) que auxiliaram na parte de inteligência cibernética, fundamental na identificação da autoria do crime.

Segundos informações divulgadas pela Deam, o suspeito havia contratado os serviços sexuais de Silvana por meio de um site e marcaram encontro por mensagens. A vítima ofereceu seus serviços no valor de R$100,00 por 1 hora.

O suspeito afirmou que queria ficar sozinho com a vítima, porém como uma amiga estava na residência, ele saiu e retornou depois. Com o desacordo comercial, ele bateu em Silvana com uma barra de ferro, e ainda afirmou que apenas matou a vítima por ser garota de programa. 'Ela morreu por causa de 50 reais', aponta investigação.

O crime - Silvana foi morta no dia 17 de agosto, em uma casa do Jardim Los Angeles. Uma das testemunhas que era amiga da vítima e cedia a casa onde mora para que Silvana fizesse programas sexuais contou à polícia que o suspeito era um cliente.

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital
(Divulgação)

Inicialmente, as equipes que atenderam a ocorrência na casa onde o corpo de Silvana foi encontrado acreditaram que a mulher havia sido morta a tiros na cabeça. No entanto, o exame de necropsia mostrou que a causa da morte foi TCE (Traumatismo Craniano Encefálico),

Ela estava em cima da cama, de calcinha e com ferimentos na cabeça. Câmeras de segurança na rua onde aconteceu o crime mostram o autor entrando e saindo da residência.

Durante as diligências, os policiais cumpriram ainda mandado de busca e apreenderam as roupas e a mochila usada pelo suspeito no dia do crime, flagrado pelas câmeras.

O post Mesmo com prisão de assassino, familiares de Silvana dizem que não se sentem tranquilos apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas