Diário Digital Por conta da pandemia, escolas de samba vivem incerteza

Por conta da pandemia, escolas de samba vivem incerteza

A diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul — FCMS —, Mara Caseiro recebeu na manhã desta quinta-feira, 30 de Julho, os integrantes da nova diretoria da Ligas das Escolas de Samba de Campo Grande (Lienca). Durante a reunião foram abordadas as dificuldades das comunidades neste momento de crise sanitária da covid-19 […] O post Por conta da pandemia, escolas de samba vivem incerteza apareceu primeiro em Diário Digital.

A diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul — FCMS —, Mara Caseiro recebeu na manhã desta quinta-feira, 30 de Julho, os integrantes da nova diretoria da Ligas das Escolas de Samba de Campo Grande (Lienca).

Durante a reunião foram abordadas as dificuldades das comunidades neste momento de crise sanitária da covid-19 e também da possibilidade de adiar o carnaval 2021. "Diante da indefinição causada pela pandemia do novo coronavírus e enquanto não houver vacina para combater a doença, o Carnaval deverá ser adiado. Enquanto isso, as escolas de samba têm feito sua parte, cumprindo as regras, mantendo as sedes fechadas e as atividades suspensas”, comentou Mara.

Responsável por movimentar boa parte da economia em setores como negócios e turismo em Campo Grande, o carnaval é uma festa tradicional da cultura popular brasileira que cumpre o papel de integrar comunidades levando lazer e entretenimento a toda população.

"É claro que no momento não podemos realizar nenhum tipo de evento com aglomeração de pessoas. Ninguém é inconsequente a ponto de fechar os olhos para o que está acontecendo com essa crise do novo coronavírus que, infelizmente, tem tirado a vida de muitas pessoas, trazendo angústia e muita tristeza a todos nós. Entretanto, se houver a possibilidade de realizar o carnaval no ano que vem, nós iremos fazê-lo com todos os protocolos de segurança exigidos pelos órgãos competentes”, declarou Mara.

Para finalizar, Mara relatou que "as escolas de samba têm papel de grande relevância social e econômica nas comunidades periféricas. São artesãos, costureiras, designers e músicos que tiram seu próprio sustento do Carnaval. Sabemos de suas necessidades e de quão importante é esta festa popular para grande parte da população, por isso ainda não há como decidir se haverá ou não o cancelamento do Carnaval 2021. Se não for possível realizá-lo em fevereiro e, se assim for o entendimento de todos, poderemos adiá-lo para depois”.

A reunião contou com a presença do novo diretor da Lienca, Alan Catarinelli; presidente do Conselho da Liga, Wlauer Castro; da vice-presidente Marilene Pereira; diretor financeiro Eduardo Souza.

O post Por conta da pandemia, escolas de samba vivem incerteza apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas