Diário Digital Programa de monitoramento procura grávidas que tomaram vacina contra a Covid-19

Programa de monitoramento procura grávidas que tomaram vacina contra a Covid-19

O programa “Alô, mamãe” monitora gestantes que tomaram a vacina contra o coronavírus em Campo Grande (MS). A intenção é acompanhar de perto todas estas mulheres e saber das possíveis reações à vacina. A iniciativa inédita da Prefeitura de Campo Grande vem enfrentando obstáculos, como casos em que as mulheres não aceitam a ligação do serviço, […] O post Programa de monitoramento procura grávidas que tomaram vacina contra a Covid-19 apareceu primeiro em Diário Digital.

O programa “Alô, mamãe” monitora gestantes que tomaram a vacina contra o coronavírus em Campo Grande (MS). A intenção é acompanhar de perto todas estas mulheres e saber das possíveis reações à vacina.

A iniciativa inédita da Prefeitura de Campo Grande vem enfrentando obstáculos, como casos em que as mulheres não aceitam a ligação do serviço, dificultando o acompanhamento das mais de quatro mil gestantes que já tomaram pelo menos uma das doses da vacina. 

Nestes sete dias de funcionamento, o serviço conseguiu entrar em contato com 409 gestantes, que iniciaram o acompanhamento que durará toda a gravidez e após o nascimento da criança, contudo outras 825 não atenderam às tentativas de contato da prefeitura. 

“É possível que elas não estejam atendendo a ligação por ser um número estranho, e o contato é feito entre 17h e 21h, mas é de extrema importância o acompanhamento dessas mulheres, por isso reforçamos o apelo: Atendam ao 2020-2170″, comenta o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho. 

Inicialmente, estas mulheres devem ser monitoradas mensalmente por uma equipe multidisciplinar, desde o recebimento da primeira dose até 30 dias após o parto. A expectativa é de que o período de monitoramento possa ser expandido para até 60 dias após o parto, integrando o trabalho com a Atenção Primária. 

O objetivo é diminuir a incidência do parto prematuro, óbito fetal, internação materna em leitos críticos com risco elevado de óbito, o acompanhamento permitirá conhecer indicadores importantes para a saúde materno–infantil. 

Até o momento, Campo Grande vacinou 4.324 gestantes, 462 com Coronavac e 3.818 com a vacina Pfizer e 44 com Astrazeneca. Está sendo avaliada a possibilidade de gestantes que eventualmente acabaram sendo vacinadas com AstraZeneca, por não saberem que estavam grávidas ou por terem engravidado após a vacina, fazerem o intercâmbio vacina utilizando o imunizante da Pfizer para segunda dose. 

Atualmente, a recomendação do Ministério da Saúde é para que essas mulheres aguardem o fim da gestação e do período puerpério (até 45 dias pós-parto) para completar o esquema vacinal com o mesmo imunizante. 

Imunização - Campo Grande, em vanguarda absoluta, trouxe a imunização para gestantes de alto risco e também de risco habitual antes da inclusão pelo PNI. Esta decisão foi baseada no estudo norte-americano que acompanhou as mulheres gestantes que foram inadvertidamente vacinadas com a tecnologia do RNA mensageiro. 

O Comitê Consultivo em Práticas de Imunização, do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, mostrou que mais de 30.000 gestantes foram vacinadas com segurança para a Covid 19. 

Uma parte destas gestantes que participou do V-Safe ― um programa de monitoramento de segurança dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças após a vacinação contra a Covid-19 – foram acompanhadas nestes intervalos para monitorar os efeitos adversos de longo prazo, snedo uma vez por trimestre, após o parto e quando o bebê completou três meses de idade. 

Alô, mamãe - O contato com a gestante vai ser feito por telefone, através do número (67) 2020-2170. O serviço irá funcionar de segunda a sexta-feira, de 17h às 21h, e aos sábados, domingos e feriados, de 7h às 19h.

O post Programa de monitoramento procura grávidas que tomaram vacina contra a Covid-19 apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas