Folha Vitória Advogado baleado no início do mês recebe alta e fala sobre recuperação

Advogado baleado no início do mês recebe alta e fala sobre recuperação

Apesar de retornar ao carinho da família e ao conforto do lar, o advogado precisará conviver com as dores que sente na região do pescoço

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após ser baleado no início do mês no bairro das Laranjeiras, na Serra, o advogado Maciel dos Santos Cunha recebeu alta médica. A vítima foi baleada com dois tiros durante um assalto, tudo aconteceu no momento em que o advogado levava a esposa no ponto de ônibus na manhã do dia 9 de janeiro.

De acordo com o advogado, um criminoso a bordo de uma moto anunciou o assalto e obrigou ele a levantar a camisa. Ao ver que o advogado estava armado, disparou contra ele. "Eu lembro que eu abri o portão, ela saiu depois veio uma motocicleta que passou próximo ao quebra mola e já curvou pra cima de mim já com a arma apontada", contou.

No momento do susto, o advogado não entendeu muito bem o assalto e pensou se tratar de um guarda noturno, em seguida ele se lembra apenas de ter visto uma arma e depois não se recorda mais dos detalhes.

Após ser baleado, Maciel foi socorrido pela família e levado para a Unidade de Pronto Atendimento de Castelândia, onde recebeu os primeiros socorros e em seguida foi encaminhado para um hospital de Vitória.

Ao todo foram três dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e outros seis dias no quarto. O pai do advogado, senhor Lourival Lopes Cunha, foi quem socorreu a vítima. "Pai nenhum naquele momento chora, naquele momento não reclama, porque a primeira coisa que ele quer é socorrer e foi o que eu fiz. Ele tem o corpo pesado mas eu juntei com o genro e os dois filhos, peguei, coloquei no carro e orientando a posição para não prejudicar e foi dessa maneira", disse.

Recepção e carinho da família

Passados os nove dias em que esteve no hospital, Maciel dos Santos Cunha agora passa pelo mesmo portão, mas com um sentimento de alívio, carinho e acolhimento por parte da família, que não economizou nas homenagens para receber o advogado de volta em casa, com mensagens de fé e amor.

Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

"Eu fiquei muito contente porque eu sei que sou muito amado pela minha família, na verdade todo nós nos amamos muito e a gente sempre compartilha da alegria um do outro", disse o advogado.

Além da alegria do próprio advogado em estar de volta, o pai da vítima também não conteve as lágrimas ao ver o filho vivo e com saúde. Lourival contou que os primeiros dias foram os mais difíceis, a agonia de não ter o filho em casa tendo em vista a forte união de toda a família.

Mesmo em casa e com a família, o advogado ainda precisa seguir algumas recomendações médicas, além de conviver com as dores que sente na região do pescoço, local onde as balas ficaram alojadas. "Com relação ao projéteis que estão alojados eu não terei problemas neurológicos ou físicos e talvez se eu fosse tentar mexer para retirar os projéteis eu poderia sofrer alguma sequela porque a bala ficou alojada em um local de muito risco", explicou.

*Com informações da repórter Bianca Vailant, da TV Vitória/Record TV.

Últimas