Folha Vitória Alunos da rede municipal de Vitória ainda não receberam livros e uniformes

Alunos da rede municipal de Vitória ainda não receberam livros e uniformes

Alunos da rede municipal de Vitória ainda não receberam livros e uniformes

A remessa de livros novos foi extraviada, segundo os Correios

A remessa de livros novos foi extraviada, segundo os Correios

Folha Vitória - Cidades 2
A remessa de livros novos foi extraviada, segundo os Correios
Foto: TV Vitória

O ano letivo começou há dois meses, mas os alunos do 8º ano vespertino da Escola Municipal Adelvani Sysesmundo de Azevedo, em Jardim Camburi, em Vitória, ainda não receberam uniformes e livros didáticos. Para estudar, os alunos usam livros velhos, com capa rasgada e páginas cheia de dobras e rabiscos. A indicação que consta na capa dos materiais informa que os livros deveriam ser utilizados até o ano passado.

A professora e mãe de aluna, Cláudia Gagno, diz que os 30 alunos da turma da filha, apenas três receberam livros dos anos anteriores. Ela acredita que o atraso e o desgaste do material disponibilizado podem prejudicar o aprendizado.

“Esses de uso até 2016 foram usados por três anos, imagina se esses alunos tiverem que usar esses livros nessas condições até dezembro?  Como que uma escola funciona com alunos do turno da tarde utilizando livros velhos e os dois oitavos anos da manhã utilizando livros novos?”, questiona. 

De acordo a prefeitura de Vitória, do total de 150.200 livros solicitados para os alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental em 2017, 14.800 exemplares não foram enviados pelo Governo Federal. Por meio de nota, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pela distribuição dos títulos, informou que parte do material foi extraviada.

Os Correios que, por meio de convênio, fazem a entrega, vão indenizar o fundo, que garantiu a reposição do material extraviado. O FNDE afirma que 5.700 livros que seriam para escolas municipais da capital deixaram de ser enviados.

A prefeitura informou que o problema foi identificado no início deste mês. O município afirma que fez contato com as coordenações estadual e nacional do livro didático, cobrando explicações e a entrega imediata dos exemplares. 

“A escola tinha a opção de compartilhares esses livros. Normalmente quando não tem livros para todos, os materiais ficam na escola e os turnos usam juntos. Os alunos usam, devolvem, nem que usem em dupla. Mas existe uma solução melhor que não prejudicasse tanto os alunos do oitavo ano vespertino que corre o risco deles não receberem os livros este ano. Qual é o prazo de receber esses livros novos que eles têm direito?”, pergunta Cláudia.  

Outra queixa dos pais dos alunos da escola de Jardim Camburi é o atraso na entrega dos uniformes. Apesar do aviso afixado no portão da unidade, sobre o investimento de mais de R$ 2 milhões feito pelo município, os pais afirmam que os alunos ainda não receberam as roupas. Um problema, que segundo a representante comercial Ana Aaula Farias Holanda, que é mãe de aluna, se repete todo ano. 

“Este ano mesmo eles iriam dar prioridade para os alunos que não receberam uniforme nenhum, mas ninguém recebeu uniforme. Inclusive eu tive que comprar o da minha filha, não somente o deste ano, mas o do ano passado também porque se esperar pela prefeitura fica bem complicado”.

Últimas